MENU

Cabral cria Secretaria de Defesa Civil e antecipa reajustes para bombeiros

Cabral cria Secretaria de Defesa Civil e antecipa reajustes para bombeiros

Atualizado: Quinta-feira, 9 Junho de 2011 as 3:58

O coronel Sérgio Simões (ao centro) está à frente

da recém-criada Secretaria estadual de Defesa

Civil (Foto: Aluizio Freire /G1)     O Governo do Estado anunciou nesta quinta (9) a criação da Secretaria de Estado de Defesa Civil, e enviou à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) uma mensagem antecipando de dezembro para julho os seis meses de reajustes salariais para bombeiros, policiais militares, policiais civis e agentes penitenciários.

Segundo nota divulgada, a secretaria ficará sob o comando do Coronel Sérgio Simões, comandante do Corpo de Bombeiros. Anteriormente, a pasta de Defesa Civil era vinculada à Secretaria estadual de Saúde, que tinha o nome de Secretaria estadual de Saúde e Defesa Civil,  tendo à frente o secretário Sérgio Côrtes.

A nota informa que o reajuste para as categorias será de 5,58%, um impacto de  R$ 323 milhões no caixa do estado. Somados aos reajustes de janeiro a junho deste ano, as categorias passam a acumular 11,5% de aumento salarial em 2011. De acordo com o governo, a medida atende a todos os 16.202 bombeiros da ativa, 5.018 aposentados e 1.592 pensionistas. A 39.775 ativos da Polícia Militar, 20.445 aposentados e 13.175 pensionistas. E a 9.254 ativos da Polícia Civil, 5.232 aposentados e 9.688 pensionistas. Além de 4.329 agentes penitenciários da ativa, 1.328 aposentados.

Apoio de estudantes

No quinto dia consecutivo de manifestações nas escadarias da Assembleia Legislativa (Alerj), no Centro do Rio, os bombeiros que protestam contra a prisão de colegas receberam, na manhã desta quinta o apoio de alunos do Colégio estadual Souza Aguiar, que estão sem aulas devido à greve dos professores. Os militares esperam receber ainda nesta quinta-feira, na Alerj, a presença de professores. Um apitaço de taxistas também está previsto para acontecer no local.

Negado relaxamento de prisão

Para a juíza Ana Paula Monte Figueiredo Pena Barros, da Auditoria da Justiça Militar do Rio, que negou o relaxamento da prisão de 431 bombeiros, não houve  nulidade no auto de prisão em flagrante. Ela considerou que o  pedido de relaxamento de prisão valeria para apenas 431 militares presos listados no auto em flagrante, e não para os 439 detidos, conforme pedira na terça-feira (7) a Defensoria Pública estadual.  O Ministério Público do Rio (MP-RJ) deu parecer favorável, na noite de quarta-feira, à manutenção da prisão dos bombeiros presos.          

veja também