MENU

PF prende parte de quadrilha que invade prédios públicos em SP

PF prende parte de quadrilha que invade prédios públicos em SP

Atualizado: Sexta-feira, 6 Agosto de 2010 as 7:50

Agentes da Polícia Federal de São Paulo cumpriram até as 16h30 desta quinta-feira (5) cinco dos oito mandados de prisão preventiva expedidos pela Justiça contra integrantes de uma quadrilha que invadia prédios públicos e privados para roubar caixas eletrônicos.

Entre os cinco presos está o homem que é considerado o chefe do grupo, de acordo com o delegado da PF Edgar Marcon. Além deste tipo de crime, o grupo, que vem sendo investigado desde maio deste ano, tem como atividades secundárias o tráfico de drogas e a receptação de cargas roubadas. Além dos mandados de prisão, foram cumpridos ao menos 14 mandados de busca e apreensão em Itanhaém, litoral sul do estado, e em Guarulhos, na Grande São Paulo. Nos locais de busca, os policiais encontraram ao menos duas armas, uma pistola e um revólver, e equipamentos utilizados em arrombamentos, como pés-de-cabra e aparelhos de solda, inclusive uma denominada “de plasma”, que permite o corte do ferro sem que as notas sejam queimadas, de acordo com Marcon.

A quadrilha começou a ser investigada pela PF a partir da prisão de três pessoas, sendo um funcionário público. Elas são suspeitas de participar da invasão de uma agência da Previdência Social em Guarulhos no início de maio. "Os indivíduos, fortemente armados, ficaram por cerca de sete horas naquelas dependências, mantiveram as pessoas em cárcere privado e, no entanto, não há a constatação de nenhum tipo de furto ou arrombamento. A partir daí, iniciamos as investigações, foi quando constatamos a existência em Guarulhos desta quadrilha", disse o delegado da PF e coordenador da operação Vagner Santana da Veiga.

Durante a ação na Previdência Social, os criminosos levaram celulares, uniformes e as armas dos vigilantes, além do computador com a gravação do circuito interno de monitoramento. Segundo a PF, a quadrilha, que já foi desarticulada, era formada por nove pessoas, entre elas dois vigilantes de empresas privadas. Ainda de acordo com as investigações, há indícios de que os detidos façam parte de uma facção criminosa que atua no estado de São Paulo.

Desde maio, a quadrilha tentou realizar ao menos três ações criminosas - em Uberaba (MG), Guarulhos e Osasco -, todas sem sucesso, segundo os delegados da PF. "Parte da quadrilha é responsável por fazer os contatos para facilitar a entrada dos demais integrantes em determinado prédio. E a outra parte cuidava de fazer os arrombamentos especificamente. Eles só permaneciam no local e levavam adiante o roubo se se sentiam seguros no local. E neste período agimos preventivamente no sentido de coibir estes crimes até termos tempo de identificar todos os membros da quadrilha", disse Edgar Marcon. 

veja também