MENU

Polícia de SP ouve suspeito por morte de estudante da USP

Polícia de SP ouve suspeito por morte de estudante da USP

Atualizado: Sexta-feira, 20 Maio de 2011 as 2:38

Retrato falado de suspeito de matar estudante da USP (Foto: Divulgação/SSP)

  A Polícia de São Paulo ouve na tarde desta sexta-feira (20) um homem suspeito de participação no assassinato do estudante Felipe Ramos de Paiva, de 24 anos, na Universidade de São Paulo (USP) na noite de quarta (18). O rapaz foi detido pela PM  em Americanópolis, na Zona Sul de São Paulo, e levado para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) após denúncia anônima. Ouvida pelo G1 , a irmã do suspeito afirma que ele é pedreiro e trabalhador. O coronel Marcos Roberto Chaves, chefe do policiamento da capital, confirmou a detenção ao G1.

A irmã do rapaz detido foi autorizada pela polícia a comprar e levar para ele um sanduíche. Neste momento, segundo ela, ele afirmou: "Pode ficar tranquila, eu não fiz nada".  A irmã do detido diz que ele tem 24 anos, cerca de 1m70 e nunca teve passagem pela polícia. Ainda de acordo com ela, o rapaz detido mostra-se calmo e não foi submetido pela polícia ao uso de algemas.     O delegado Carlos Carrasco, diretor do DHPP, afirmou em entrevista coletiva na noite de quinta-feira (19) que um aluno viu a vítima ser perseguida por dois homens após ter retirado dinheiro de um caixa perto da  Faculdade de Economia e Administração (FEA).  A própria família da vítima disse que o aluno já tinha enfrentado ladrões dentro do campus antes do crime, em outras duas oportunidades.

A polícia divulgou na quinta-feira (19) o retrato falado de um dos dois suspeitos e imagens deles, que foram gravadas por câmeras de monitoramento de segurança. Outras duas pessoas foram ouvidas pela polícia. Uma delas é um aluno que disse ter corrido dos criminosos após ter sido abordado por eles num ponto de ônibus. A outra testemunha é um vigilante da USP, que afirmou ter ouvido o tiro que matou Felipe.

Ainda na versão de uma testemunha, Felipe tentou fugir dos homens que o perseguiam correndo em direção a seu carro, um Gol blindado ano 1995. Para a investigação, a vítima lutou com os agressores e foi baleada. Os criminosos fugiram em seguida, entre 21h30 e 22h.

A Polícia Militar foi chamada cerca de 30 minutos depois. Ao chegar ao local, encontrou a maçaneta do carro da vítima avariada e a porta do veículo aberta. A perna de Felipe estava dentro do carro enquanto o corpo ficou do lado de fora do automóvel. As câmeras que estavam nessa região, não gravaram o crime porque não funcionavam.

Apesar de o DHPP falar em latrocínio (roubo seguido de morto), o pai de Felipe, Ocimar Florentino de Paiva, de 52 anos, afirmou na tarde de quinta, durante o enterro do filho, em Caieiras, na Grande SP, que aparentemente nada havia sido roubado do filho. Na carteira do aluno estavam R$ 90 e todos os cartões.O telefone celular da vítima foi apreendido e deverá ser analisado pelos peritos da Polícia Técnico Científica.        

veja também