MENU

Suspeito de aplicar golpe do falso sequestro morre após troca de tiros

Suspeito de aplicar golpe do falso sequestro morre após troca de tiros

Atualizado: Quinta-feira, 28 Abril de 2011 as 8:51

Um suspeito morreu e outro ficou ferido durante uma troca de tiros com policiais militares e guardas municipais em Cotia, na Grande São Paulo, na noite de quarta-feira (27). Segundo a polícia, a dupla aplicava o golpe do falso sequestro em uma adolescente de 14 anos.

Os criminosos ligaram para a casa da garota e disseram que estavam com sua mãe. Como seus pais estavam fora, trabalhando, ela acreditou e ficou desesperada. “Colocaram uma pessoa para gritar no fundo, uma outra mulher, para simular a mãe da menina. A menina acreditou e começou a negociar a liberdade da mãe”, disse o guarda municipal José Garcia Costa Filho.

A adolescente, que vive em um condomínio fechado, andou 1 km até a portaria. Lá, ela deixou uma sacola com dinheiro em um portão. Em seguida, os criminosos ligaram novamente e pediram mais dinheiro. A garota voltou ao portão e deixou outra sacola com valores. Eles ficaram durante cerca de quatro horas na linha com a vítima para que ela não telefonasse para sua mãe.

O pai da adolescente saiu do trabalho mais cedo porque não conseguia falar com os filhos e, ao chegar à sua casa, descobriu o golpe. A PM e a Guarda Municipal foram informadas e armaram o flagrante. “Quando chegaram para pegar a terceira quantia, foram abordados, reagiram, houve troca de tiros e um deles acabou morrendo”, disse o delegado Claudio Alexandre do Rosário.

Um suspeito de 30 anos morreu ao chegar a um pronto-socorro. Um rapaz de 22 está internado. Parte do dinheiro levado foi recuperado e devolvido para a família. A polícia agora investiga a participação de outras pessoas no crime.

A polícia aconselha as pessoas que tomem alguns cuidados ao receber telefonemas como esse. “Primeira providência é tentar entrar em contato com a pessoa que eles dizem que sequestraram. Porque na maioria das vezes não é nada. De imediato, deve acionar a polícia para que ela tome as providências”, acrescentou o delegado.        

veja também