Número de HQs nas bibliotecas escolares vai dobrar em 2011

Número de HQs nas bibliotecas escolares vai dobrar em 2011

Atualizado: Sexta-feira, 20 Agosto de 2010 as 1:57

O governo brasileiro dobrou o número de histórias em quadrinhos na lista do PNBE (Programa Nacional Biblioteca da Escola), publicada esta semana no Diário Oficial. As HQs selecionadas pularam de 12 para 24 títulos. "Achei a seleção bastante interessante, pois dá ao leitor comum a oportunidade de se apaixonar pelos quadrinhos. Como editor de quadrinhos e ex-professor de história e geografia, percebo que as leituras oferecidas pelas escolas não se preocupam em gerar público leitor", diz Raphael Fernandes, da tradicionalíssima revista humorística MAD.

Cada título escolhido terá uma tiragem impressa de 30 mil exemplares, distribuídos em bibliotecas escolares de todo o país. Entre os clássicos, a nova relação faz algumas substituições nas HQs. Sai Machado de Assis, presente nas listas dos últimos anos, para dar lugar a "O Guarani", de José de Alencar, que terá duas versões no PNBE 2011 (pelas editoras Ática e Cortez), e a uma adaptação do ótimo "O Cortiço", de Aluísio Azevedo (também pela Ática).

A surpresa é a inclusão do gênero de super-heróis, representado por "Demolidor: O Homem sem Medo", de Frank Miller (publicado pela Panini), e pelo cocriador do filme "Kick Ass", John Romita Jr., com a obra autoral "Asterios Polyp". Destaque também para "Necronauta", HQ brasileira de Danilo Beyruth, publicada no início do ano pela HQM Editora. "A lista traz um leque que mostra trabalhos de puro entretenimento, como ‘Necronauta’, e trabalhos mais ousados, como o fabuloso ‘Persépolis’, da iraniana Marjane Satrapi", reforça Raphael Fernandes. O PNBE 2011 ainda levará às escolas "Bidu – 25 Anos" e "MSP 50 - Maurício de Sousa por 50 Artistas", ambas sobre o universo da Mônica, e "Zoo", do também brasileiro Nestablo Ramos (editada pela HQM).

Somente "Persépolis", "Demolidor" e "Peanuts" – as tiras do cachorro Snoopy – são produções internacionais. "Embora o mercado de quadrinhos seja um tanto duro com os autores nacionais, felizmente isso vem, pouco a pouco melhorando", comemora Leonardo Vicente di Sessa, um dos editores da HQM, editora que teve dois títulos selecionados. "Claro, ainda estamos longe de ter uma indústria nacional bem estruturada, mas damos cada vez passos maiores nesta direção", completa.

Conheça algumas HQs

"Demolidor: O Homem Sem Medo" foi lançado nos anos 90, quando a temática de super-heróis se tornou mais adulta (com "Batman: O Cavaleiro das Trevas", "Watchmen" e outros). A graphic novel atualiza a origem do Demolidor, um personagem que hoje, mais de 25 anos depois, ainda é grandioso na Marvel Comics devido a esta história, e a toda a fase de Frank Miller no personagem.

Leonardo explica a importância de "Zoo" e "Necronauta", histórias que ele editou: "Danilo Beyruth iniciou a publicação do ‘Necronauta’ em 2007 de forma independente e foi indicado ao Troféu HQMix por dois anos seguidos. Concorre neste ano como desenhista revelação pelo trabalho deste álbum, que reúne as seis primeiras edições da série, incluindo uma história lançada primeiramente no mercado norte-americano como parte da coletânea ‘Popgun vol.3’ (premiada com o Eisner Awards de Melhor Antologia)"

"Já Zoo tem uma temática bem diferente, abordando a ecologia e os direitos dos animais de uma maneira bem peculiar, invertendo os papeis, criando um mundo onde humanos e animais estão em posições trocadas. O enredo tem início com a ‘Zoo Fashion Week’, o mais famoso evento de moda do ano e o sonho de alcançar a glória para qualquer modelo profissional", explica o editor. "Prestes a assinar um contrato para posar nua em uma revista, a modelo Ísis descobre que toda sua vida nas passarelas foi construída às custas do sofrimento de seres humanos usados como matéria-prima na fabricação das mesmas roupas que ela é muito bem paga para usar", completa.

Por: Artur Tavares

veja também