Transporte alternativo melhora a saúde e emagrece

Transporte alternativo melhora a saúde e emagrece

Atualizado: Sexta-feira, 23 Setembro de 2011 as 10:49

Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia, 60% dos paulistanos estão acima do peso. Ao dirigir, além do gasto calórico ser baixo - cerca de 150 calorias por hora - o motorista é submetido a um alto nível de estresse nos congestionamentos, que ultrapassam os 200 km nos horários de pico.

"A pessoa acaba descontando tudo na comida e come em excesso", disse o gastroenterologista do Hospital 9 de Julho, José Luiz Capalbo. Complicações nas relações pessoais, tensão constante e hipertensão arterial estão entre os problemas que podem surgir de uma vida estressante.

Abrir mão do conforto de viajar sentado ouvindo música; de não ter que sentir na pele a teoria de Newton de que "dois corpos não ocupam o mesmo espaço" nos ônibus e metrô lotados ou de chegar impecável ao trabalho faça chuva ou sol não é fácil.

Mas trocar o conforto do automóvel individual por meios de transporte alternativos pode trazer benefícios à qualidade de vida e ajudar a reduzir os quilos a mais. Para Capalbo, "é necessário analisar se a pessoa não precisa de muitas conduções e se o horário de trabalho não é quando os veículos estão muito cheios". Se for viável, o conselho do médico é adotar formas alternativas para se locomover.

Caminhar até o ponto de ônibus, por exemplo, já é uma forma de se exercitar, explicou o educador físico Márcio Scomparim. "A pessoa pode gastar de 200 a 400 calorias em cerca de 20 minutos de caminhada", disse ele. Scomparim ressaltou que o gasto calórico depende da massa corporal, intensidade da caminhada, relevo do terreno e clima. "Uma pessoa com bom condicionamento físico e alimentação queima mais calorias do que um sedentário que come salgadinhos e fast-food", exemplificou.

Quem tiver disposição e habilidade, pode adotar a bicicleta como meio de transporte alternativo e mandar embora entre 600 e 800 calorias. De acordo com o diretor da Evolubike, Alexandre Lima, "a prática de exercícios melhora o bem estar, dá ânimo e ajuda no condicionamento físico".

No entanto, é essencial ter habilidade. São Paulo tem pouco mais de 35 km de ciclovias, portanto, o trajeto até o trabalho pode passar por vias de circulação de carros. "É preciso saber andar e usar proteções, como o capacete", alertou. Lima citou a bicicleta elétrica como opção para quem quer ir ao trabalho de bike sem chegar suado e o modelo dobrável que pode ser usado no trajeto ao metrô.

Menor número de carros na rua implica na diminuição da poluição e melhor qualidade do ar. Respirar em algumas vias pode ser tão prejudicial quanto fumar, segundo o pneumologista Alexandre Kawassaki. "Equivale a fumar de três a quatro cigarros por dia", disse ele. Apesar de o transporte público em São Paulo desagradar grande parte da população e não haver infraestrutura adequada para os ciclistas, existem vantagens em deixar o carro em casa.

Veja 7 maneiras de melhorar a qualidade de vida e entrar em forma:

1- Para o educador físico Márcio Scomparin, caminhar até o metrô, por cerca de 20 minutos, pode gerar a queima de 200 a 400 calorias, variando de acordo com a pessoa, intensidade, relevo e clima. "Para uma pessoa sedentária, este pequeno exercício já é um estímulo e é melhor do que nada", disse. A caminhada melhora o sistema cardiovascular, tonifica os músculos e ajuda na postura. "Além disso, um hábito saudável puxa o outro", completou.

2- Ficar no trânsito pode ser estressante, segundo o gastroenterologista José Luiz Capalbo. Levar horas para chegar ao trabalho e um longo tempo na volta para a casa é prejudicial à qualidade de vida e a pessoa acaba descontando toda a tensão na comida, "come em excesso", disse. "As relações ficam tensas, a pessoa fica mais irritada, pode ter hipertensão arterial e gastrite, por causa do estresse", enumerou o profissional.

3- Uma vantagem de usar o transporte público é conhecer novas pessoas, afirmou o gastroenterologista do Hospital 9 de Julho, José Luiz Capelbo. "Você pode conhecer melhor as pessoas de onde mora ou trabalha e fazer o percurso batendo papo", sugeriu.

4- O diretor da Evolubike afirmou que o tempo dentro de ônibus ou metrô pode ser usado para a leitura e estudo. "Leitura é a primeira coisa que vem à mente ao pensar em otimizar o tempo nos transportes públicos, pode ser por lazer, estudo ou trabalho", disse. Os passageiros também podem aproveitar para escrever, jogar videogames e usar o computador.

5- Ir ao trabalho, escola ou faculdade de bicicleta é uma excelente forma de se exercitar e manter a forma, de acordo com o educador físico Márcio Scomparim. "A queima de calorias pode chegar de 600 a 800 calorias em 20 ou 50 minutos de pedaladas, dependendo da intensidade", disse ele. No entanto, o diretor da Evolubike ressaltou a importância de usar equipamentos de segurança e só dividir vias onde passam carros quando tiver habilidade com a bike.

6- Um carro emite, em média, 150 g de poluentes por km rodado. Segundo a CET, cerca de 3,8 milhões de veículos estão em atividade em São Paulo. As principais vias da capital, com alta circulação de carros, tem o ar extremamente poluído. "Passar o dia nestas regiões equivale a fumar de 3 a 4 cigarros por dia", disse o pneumologista Alexandre Kawassaki. Ficar exposto à poluição pode causar problemas como efisema pulmonar e piorar a vida das pessoas que têm rinite, sinusite e bronquite.

7- Uma sugestão do diretor da Evolubike, Alexandre Lima, é aproveitar o tempo do trajeto no transporte público para relaxar e tirar um cochilo.

veja também