MENU

Israel

Cerca de 10 mil judeus ucranianos devem retornar a Israel nas próximas semanas

Com o aumento de pedidos de Aliá de judeus que desejam fugir da guerra na Ucrânia, Israel aprovou uma operação emergencial de imigração.

Fonte: Guiame, com informações de The Jerusalem PostAtualizado: segunda-feira, 28 de fevereiro de 2022 14:08
Em meio à guerra da Ucrânia, houve um aumento de pedidos de imigração de judeus ucranianos. (Foto: IFCJ).
Em meio à guerra da Ucrânia, houve um aumento de pedidos de imigração de judeus ucranianos. (Foto: IFCJ).

Cerca de 10 mil judeus ucranianos devem retornar a Israel nas próximas semanas após a invasão russa na Ucrânia, segundo a estimativa do governo israelense, divulgada no sábado (26) pelo jornal The Jerusalem Post. 

O Ministério da Absorção ao Imigrante de Israel afirmou que um orçamento adicional já foi aprovado para uma operação emergencial de imigração para judeus na Ucrânia, diante do aumento drástico de pedidos de Aliá (imigração judaica), com a eclosão da guerra no país.

Na última quinta-feira (24), Tamano-Shata, ministra do Ministério da Absorção, convocou uma reunião de emergência com uma equipe interministerial para remover obstáculos burocráticos e emitir vistos de imigração de forma virtual.

“Apelamos aos judeus da Ucrânia para imigrar para Israel, sua casa", afirmou o Ministério da Absorção ao Imigrante. 

De acordo com o Jerusalem Post, o governo israelense está oferecendo abrigo e refeições gratuitas aos judeus que fogem da guerra na Ucrânia, com hospedagem em hotéis por um período de duas semanas a um mês, com a possibilidade de estender a estadia.

Antes da Rússia iniciar o ataque à Ucrânia, cerca de 75 imigrantes da Ucrânia desembarcaram em Tel Aviv no dia 20 de fevereiro, em um voo planejado pela Associação Internacional de Cristãos e Judeus (IFCJ), a Agência Judaica e o Ministério da Absorção ao Imigrante de Israel.

Em 26 de fevereiro, mais um grupo de judeus foi resgatado da Ucrânia em uma operação da Agência Judaica. Os imigrantes saíram pela Polônia de ônibus, após um processo de 16 horas.

Israel já se preparava para receber e ajudar milhares de judeus ucranianos desde que as ameaças de invasão russa à Ucrânia começaram, no início de fevereiro. Segundo a ministra Tamano-Shata, o governo israelense está “preparado para qualquer cenário de um aumento massivo imediato na Aliá da Ucrânia”.

Em 2021, um total de 13.006 judeus fizeram a Aliá do Leste Europeu a Israel. Em comparação a estes dados, o The Jerusalem Post afirmou que “10 mil imigrantes da Ucrânia em um mês é substancial e dramático”.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições