Esposa de pastor é libertada após 6 meses de prisão na China

Jiang Rong, esposa do Pr. Wang Yi, foi solta sob fiança; marido e outros membros da igreja permanecem na prisão.

fonte: Guiame, com informações da CWS

Atualizado: Quinta-feira, 13 Junho de 2019 as 2:47

Pastor Wang Yi e sua esposa Jiang Rong, que foram presos em dezembro de 2018. (Foto: Reprodução/Facebook)
Pastor Wang Yi e sua esposa Jiang Rong, que foram presos em dezembro de 2018. (Foto: Reprodução/Facebook)

Jiang Rong, membro da Early Rain Church e esposa do pastor Wang Yi, foi libertada na segunda-feira (10) após seis meses de detenção. O pastor Wang e vários membros da igreja permanecem detidos.

A notícia da soltura de Jiang foi publicada na página do Facebook Pray for Early Rain Covenant Church e confirmada por fontes da CSW. De acordo com o post, Jiang foi solta sob fiança e está em companhia do filho. O post também relatou que outro membro da igreja foi libertado sob fiança ao mesmo tempo.

Jiang foi detida em dezembro junto com seu marido, o pastor Wang Yi, e mais de 100 outros membros da igreja. Famílias e indivíduos que freqüentam a igreja estão enfrentando assédio contínuo da polícia e dos proprietários de terras sob pressão das autoridades.

Dezenas de membros da igreja foram detidos por curtos períodos sob detenção administrativa. Wang e Jiang são acusados ​​de incitar a subversão.

Houve um rápido aumento das restrições às igrejas na China desde que os regulamentos revisados ​​sobre assuntos religiosos entraram em vigor em fevereiro de 2018.

Em todo o país, as autoridades forçaram igrejas não registradas a fecharem, perseguindo líderes e membros, enquanto igrejas registradas foram forçadas a remover símbolos religiosos e foram proibidos de permitir que as crianças se envolvam em atividades religiosas. Em várias partes do país, as igrejas foram totalmente demolidas.

O presidente-executivo da CSW, Mervyn Thomas, disse: “Embora saibamos que Jiang Rong foi libertado sob fiança e se reuniu com seu filho, condenamos firmemente sua detenção de seis meses e as acusações contra ela, que são completamente infundadas”.

Thomas diz que “por meio ano, Jiang foi arbitrariamente privada de sua liberdade e mantida separada de seu filho. Pedimos às autoridades chinesas que retirem todas as acusações contra Jiang, que libertem imediatamente e sem condições todos os membros da igreja ainda detidos, e que cessem todas as formas de assédio contra a igreja.”

veja também