Médica é chamada por Deus para servir na Ucrânia: “O Espírito Santo estava lá”

Laura Douglas-Beveridge testemunhou a presença de Deus enquanto atendia no hospital de campanha da Samaritan’s Purse.

Fonte: Guiame, com informações de Christian TodayAtualizado: segunda-feira, 18 de abril de 2022 13:08
Laura Douglas-Beveridge serviu no hospital de campanha da Samaritan’s Purse na Ucrânia. (Foto: Samaritan's Purse).
Laura Douglas-Beveridge serviu no hospital de campanha da Samaritan’s Purse na Ucrânia. (Foto: Samaritan's Purse).

Quando a invasão russa começou na Ucrânia, a médica britânica Laura Douglas-Beveridge, de 33 anos, se sentiu chamada por Deus para servir durante a guerra no hospital de campanha da organização cristã Samaritan's Purse. 

“Senti que tinha habilidades práticas que poderia trazer para aquela situação, mas também havia aquele sentimento de ser chamado para algo”, contou Laura em entrevista ao Christian Today.

A decisão foi tomada em família e pela fé. “Meu marido e eu conversamos sobre isso. Havia apenas uma sensação de paz e oramos juntos sobre isso e decidimos que, se é onde Deus quer que eu esteja, vamos em frente”, disse a médica.

Segundo Laura, as situações que ela se deparou na zona de guerra foram muito diferentes das situações que lida no dia a dia como médica no Reino Unido. Ela explicou que muitos refugiados desenvolviam quadros graves após viajar por dias sem seus medicamentos, somado às lesões que sofriam durante a fuga.

“Muitas vezes desenvolviam infecções ou complicações que necessitavam de cirurgia. Este foi um conjunto de desafios bem diferente do que veríamos em um ambiente estável, onde você poderia tratar alguém imediatamente no momento em que sofreu a lesão ou onde alguém pudesse cuidar de sua própria saúde”, explicou ela.

A médica também relatou que atendeu muitos pacientes afetados psicologicamente pela guerra. Alguns apresentavam um estado emocional angustiado e outros estavam entorpecidos sem ainda conseguir absorver o que estava acontecendo.

E havia aqueles que apresentavam sintomas físicos do trauma de estar vivenciando um conflito armado. 

“Este era particularmente o caso de algumas das crianças que eram trazidas reclamando de dor de barriga ou sentindo-se enjoadas, e na verdade não era que houvesse um problema médico; eles estavam simplesmente sentindo os efeitos físicos do trauma psicológico. Eu mesmo tenho dois filhos pequenos, então foi bastante perturbador ver os pequenos realmente sentindo os efeitos do que viram”, disse Laura.

Deus presente na zona de guerra

Em meio aos traumas da guerra, a médica cristã disse que pode testemunhar a presença de Deus na Ucrânia. 

“Muitas das pessoas que conhecemos eram absolutamente dependentes da fé de que Deus traria bons dias e um bom futuro, como diz nas Escrituras, e eles estavam absolutamente focados no que está por vir. E isso foi algo que eu achei realmente inspirador”, contou.

“Não foi tanto um único momento, mas sim, parecia que o Espírito Santo estava lá no meio de tudo isso. Jesus entraria no meio de tudo isso e sujaria as mãos. Ele estaria lá, confortando as pessoas em apuros”, testemunhou Laura.

Após trabalhar por três semanas no hospital de campanha na Ucrânia, a médica voltou para casa, no Reino Unido. Laura lembrou que Deus é maior do que as situações mais difíceis e falou como os cristãos podem interceder pelo povo ucraniano.

“Em primeiro lugar, precisamos orar para que Putin e o governo russo tenham aquele momento de 'Caminho para Damasco'. Ore por apoio contínuo para o povo da Ucrânia e para a Samaritan’s Purse, que se comprometeu a estar lá pelo tempo que for necessário. Ore pela equipe que está lá, para que eles tenham a força e os recursos para continuar prestando excelente atendimento e amor às pessoas”, afirmou a médica.



Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições