"É só um momento de prazer para passar o dia deprimido", diz youtuber sobre pornografia

Chaz Smith é cristão e citou as palavras de Paulo em Romanos 7 para falar sobre sua luta pessoal contra a pornografia.

fonte: Guiame, com informações do Faith Wire

Atualizado: Quinta-feira, 8 Agosto de 2019 as 8:43

Chaz Smith é um jovem cristão que mantém um canal no Youtube e tem alertado sobre os malefícios da pornografia. (Imagem: Youtube / Reprodução)
Chaz Smith é um jovem cristão que mantém um canal no Youtube e tem alertado sobre os malefícios da pornografia. (Imagem: Youtube / Reprodução)

Chaz Smith é conhecido por seus vídeos hilários, que intencionalmente têm imitações com pronúncias não muito audíveis - mais recentemente, os personagens de "Vingadores - Ultimato", da Marvel - mas ele se tornou publicamente um defensor daqueles que lutam contra a pornografia.

Ele foi convidado no episódio desta semana do podcast "Fight the New Drug" ("Lute Contra a Nova Droga"), que debateu o tema "Considere antes de consumir". Smith foi sincero sobre seu próprio comportamento compulsivo, quando foi exposto pela primeira vez à pornografia e ao enigma que isso criou em sua própria vida.

Smith disse ao entrevistador Garrett Jonsson, do FTND, que ele foi exposto pela primeira vez à pornografia quando tinha apenas 8 anos de idade, o que é muito comum hoje em dia. No início dos anos 2000, ninguém tinha smartphones, a internet ainda era muito mais lenta, não havia nenhum site de mídia social popular e era difícil de navegar, então sua incursão no conteúdo explícito era na verdade via televisão.

"Aconteceu que havia um filme na TV, e não era como um 'filme adulto', mas a primeira coisa que eu lembro de ter visto foi uma cena de estupro", lembrou ele. "Eu nem entendi o que estava acontecendo, mas sabia que era ruim. E aquilo meio que ficou comigo".

Embora ele nunca tenha sido diagnosticado profissionalmente com um vício em pornografia (especialistas ainda estão debatendo se o consumo compulsivo de pornografia pode ser classificado como um vício), Smith admitiu estar exibindo comportamentos de dependência.

"Era como os mesmos comportamentos de alguém que sente que precisa consumir álcool ou outras drogas para lidar com algo, se você pode articular e explicar e entender por que você continua voltando para essa coisa, quais são as raízes dela ou o que quer que seja", ele disse. "É o mesmo comportamento."

Smith disse que nunca foi "realmente satisfeito". O conhecido YouTuber explicou que ele estava usando pornografia para tentar preencher um vazio, mas a pornografia realmente o fez se sentir ainda mais vazio.

"Não há nada de bom nisso", disse ele. "Apenas um momento de prazer para passar o resto do dia deprimido".

"O mal que eu não quero"

Smith, que é um cristão sincero e dedicou vários de seus vídeos a falar sobre sua fé, então relatou sua própria dor e luta para o encargo expresso em Romanos 7: 15-20 pelo apóstolo Paulo, que explicou o enigma do humano experiência com o pecado.

"Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço. E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim", diz a passagem.

Por mais intrigantes que sejam as palavras de Paulo, essa passagem faz um perfeito sentido sobre o que Smith estava sentindo e a batalha interna que ele estava travando.

"Eu sabia que não queria fazer aquilo. Aliás, nunca quis fazer, o que é loucura", disse ele a Jonsson. “É um paradoxo assim. É como, você sabe, continuar a voltar para algo que eu odiava".

Em resposta, o apresentador do FTND descreveu o depoimento de Smith sobre seus hábitos como “a definição de compulsividade”. A exposição à pornografia - particularmente em uma idade jovem - essencialmente “sequestra” seus centros de recompensa mental, disse Jonsson, porque as crianças “não conseguem pensar em prós e contras de uma forma equilibrada.

Jonsson também explicou que, para ele, uma boa maneira de determinar se um comportamento é viciante é discernir se é algo que você está começando a transformar em "crônico e compulsivo".

Compartilhar para alertar

Agora, do outro lado de um vício em pornografia, Smith, que fez um vídeo sobre os perigos da pornografia em 2018, disse que sabe que "não há vergonha nas lutas que temos" e disse a Jonsson que "é muito libertador estar aberto" a falar sobre seu passado. Com isso em mente, Smith começou a usar sua plataforma para compartilhar sua história.

"Isso destrói os relacionamentos", disse ele sobre a pornografia. “A profundidade do que essa declaração significa, eu não acho que as pessoas estão realmente conscientes. Somos pessoas relacionais. Mas a pornografia destrói totalmente o que nos torna humanos".

veja também