Ex-Diante do Trono fala como voltou para Deus após se envolver com drogas e prostituição

Jota Ramalho foi se envolvendo com a música secular até que se afastou de Deus e mergulhou nas drogas.

fonte: Guiame

Atualizado: Quarta-feira, 18 Julho de 2018 as 5:03

O cantor Jota Ramalho ficou conhecido por participar do segundo CD do ministério Diante do Trono, Exaltado, em 1999. Mas, ele acabou abandonando a fé e se tornou um homem que ele mesmo não reconhecia mais. Jota chegou a traficar drogas e se envolveu com a homossexualidade.

Hoje, ele conta seu testemunho de libertação. Jota lembra que fazia parte de um coral da Igreja Batista da Lagoinha, o El Shamah e que pouco tempo depois foi chamado para substituir o pastor André Valadão no segundo CD do Diante do Trono.

“O Pastor André Valadão precisou ir para os Estados Unidos estudar e nas turnês a Ana Paula Valadão começou a me colocar para substituir ele. Quando foi para gravar o ‘Exaltado’ eu já entrei como vocalista principal”, conta.

Tempos depois, Jota passou a ser convidado para cantar em outros estados do Brasil e foi aí que ele caiu. “Foi nesse momento que eu comecei a viajar pelo país. O pessoal me conhecia como Josélio do Diante do Trono e nesse tempo fui pregar em um congresso de louvor e adoração da minha cidade, em Ipatinga”, disse.

“O Espírito Santo disse claramente para eu ficar e multiplicar aquilo que eu havia recebido. Infelizmente foi nesse tempo que o diabo me encontrou. Eu comecei a fazer propagandas de rádio, vinhetas para TV e foi inevitável. Você está dentro de um estúdio e chega o cantor da banda tal e pedia que eu fizesse back vocal”, lembrou.

Jota foi cedendo aos pedidos e se afastando cada vez mais do Evangelho. “Então um back vocal aqui, o lançamento de um CD alí, um coquetel de uma banda acolá e eu fui vislumbrando como seria se estivesse naquele lugar. ‘Será que aqui eu não gravaria meu CD ou encontro uma gravadora poderosa?’”, se questionava.

“Davi diz que um abismo chama outro abismo. Então eu percebi isso, fui no caminho secular, ia para festinhas seculares, para o meio de amigos seculares. O arraial do Senhor foi ficando a minha segunda opção e o meio secular foi virando o meu lugar habitual. Conhecia alguém que bebia, alguém que fumava, alguém que cheirava”, disse ele sobre seu envolvimento com as drogas.

“Daí para frente eu fui cedendo e foi álcool, cigarro, maconha, cocaína, crack, ecstasy, drogas sintéticas e isso custa caro. Eu era um rapaz de classe média baixa não podia sustentar aquilo. Então eu hibernei na academia para moldar o meu corpo e comecei a fazer programa, porque eu trocava meus favores sexuais por droga, bebida, para entrar nas boates”, ressaltou.

Jota contou que não estava percebendo o que acontecia com ele e só foi afundando cada vez mais no pecado. “Fui para a homossexualidade, me tornei cafetão e traficante”.

Renovo

Após 13 anos longe de Deus, Jota conta que se arrependeu de seu estado. “Como eu trabalhava em estúdio, pegava muito serviço de cantores evangélicos. Então eu estava sempre cantando louvores. Quando eu cheguei no fundo do poço, onde eu estava tendo relacionamento com homens e minha mãe estava doente de decepção, até os meus irmãos se afastaram de mim, eu estava devendo milhares para traficantes. Eu disse ‘tá errado, eu não sou esse cara, eu não nasci para isso’. Foi quando um casal de amigos me chamou para ir a uma igreja”, lembra.

Jota Ramalho foi convidado para ir a um culto do Evangelho Quadrangular, onde hoje é membro. “Nesse culto fui tão confrontado pela Palavra que eu achei que alguém tinha contado a minha história para o pastor. No dia 9 de março de 2014 resolvi mudar de vida”, disse.

“Comecei a escrever canções que falavam sobre o que eu tinha vivido eu comecei a ser convidado não para pregar para essa geração que quer experimentar aquilo que eu havia rejeitado. Deus começou a levantar o meu ministério pelo que Ele fez em mim”.

veja também