Ex-traficante se entrega a Jesus e se dedica a recuperar pessoas das drogas

Devido à separação dos pais, Caleb McCall mergulhou no vício, consumindo e traficando drogas até ser preso.

fonte: Guiame, com informações do God Reports

Atualizado: Quarta-feira, 22 Julho de 2020 as 10:11

Caleb McCall ao ser preso e hoje vivendo como um cristão. (Foto: Reprodução/CBN News)
Caleb McCall ao ser preso e hoje vivendo como um cristão. (Foto: Reprodução/CBN News)

Caleb McCall teve uma infância e adolescência conturbadas. Tudo começou quando ele tinha cinco anos e seus pais, que eram cristãos, se divorciaram. A separação o abalou emocionalmente e o colocou em um caminho descendente em direção ao vício, à violência e à prisão.

"Eu queria que minha família, minha mãe e meu pai estivessem juntos, mas não deu certo", relembra Caleb no podcast Be the Bush. “Eu não falava até os quatro anos de idade e, quando falava, eu tinha um problema de fala e tive que ir para as aulas de fala”.

Aos 11 anos, Caleb foi apresentado a drogas e álcool. “Aos 13 anos eu era um viciado. Eu fumava maconha todos os dias”, lembra.

Naquela época, o irmão de seu melhor amigo, que havia saído da prisão, decidiu que seria uma boa ideia apresentar Caleb à cocaína. Além de consumir a droga, o jovem começou traficar para seus amigos da oitava série. Pouco tempo depois, Caleb sofreu sua primeira prisão por beber e brigar em um complexo de apartamentos.

“No ensino médio, eu já havia me tornado um traficante de drogas e um empresário e comecei a amar o estilo de vida do dinheiro rápido. Adorava sapatos, roupas e todas essas coisas”, explica.

"Meus pais pensaram que algumas coisas estavam acontecendo, mas não sabiam o quão ruim era porque eu era um manipulador. Mentia para meus pais o tempo todo. Quando as coisas pioravam do ponto de vista negativo, eu arrumava minhas malas e saía, e meu pai me tirava de minhas situações para tentar me manter longe de problemas”, diz.

Caleb se formou no ensino médio depois de frequentar três escolas diferentes, mas antes sua namorada ficou grávida. Ele conta que nessa época seu tráfico de drogas tornou-se ainda mais intenso e lucrativo.

“Eu morava em um dos bairros mais bonitos aqui em minha cidade natal, com quatro carros na garagem, pessoas morando lá. Minha vida foi louca”, relembra.

Caleb recusou oportunidades de bolsas para jogar basquete universitário e continuou a vender drogas.

Aos 19 anos, ele foi assaltado e espancado por dois indivíduos que considerava amigos. "Quando isso aconteceu, não revidei. Este é o mundo das drogas. Você não retalia; as coisas ficam feias”, conta.

Tudo começa a piorar

Algumas semanas depois, Caleb estava com uma pistola presa no peito em um posto de gasolina pronto para um assalto. "Houve um acordo de crack que deu errado com eles algumas semanas antes disso, mas este era o mundo e a vida em que eu estava envolvido", explica.

Após o segundo assalto, ele disse que aquilo nunca mais voltaria a acontecer.

Caleb mudou-se para Manchester, conseguiu seu próprio lugar e um novo grupo de amigos. Nesse novo ambiente, começou a injetar esteroides e uma onda de violência estourou em sua vida que durou sete anos. "Eu não poderia ir a lugar nenhum sem brigar com alguém", relata.

As únicas coisas com as quais ele se importava eram drogas e dinheiro. Um dia, ele cometeu o erro de misturar analgésicos com medicamentos para pressão arterial. “Comecei a andar e desmaiei. Liguei para o centro de controle de envenenamentos e eles disseram que precisava chegar rapidamente à sala de emergência; pois poderia morrer", conta.

O nome de Jesus

Caleb não queria ir ao hospital porque estava em liberdade condicional na época. “Levantei-me para ir ao banheiro e comecei a desmaiar. A sala ficou escura e vi estrelas passando, gritei o nome de Jesus”, recorda-se.

Ele conta que ficou na cama por mais três dias perguntando a Deus: "Por favor, não me deixe morrer assim, por favor, não me deixe morrer assim. Deus, nunca mais vou tomar drogas.

Ele sobreviveu, mas não entregou completamente sua vida a Jesus Cristo. "Existe poder em nome de Jesus", reconheceu. "Acabei de dizer o nome de Jesus e acabei não morrendo."

Aos 21 anos, Caleb recebeu sua primeira acusação criminal. “Eu casei com a mãe do meu filho. Não levou dez meses para ela fazer as malas e sair. Eu estava louco; eu era violento; eu fazia buracos na parede, arrancava portas da parede; minha vida estava uma bagunça”, ele admite.

Mais vícios

Após bater o tornozelo enquanto jogava futebol com os amigos, os médicos receitaram analgésicos: "Foi aqui que meu vício em opioides começou. Aos 22 anos eu não tinha seguro. Fui ao hospital e eles me mandaram para casa com analgésicos que tomaram conta da minha vida.”

Um ano e meio depois, Caleb sofreu um acidente de carro após misturar remédios e bebidas. "Eu poderia ter me matado", diz ele. “Posso contar testemunho após testemunho de como devo estaria morto. Fui atingido na cabeça com morcegos, [perfurado] por facas, [envolvimento] em brigas, todas essas coisas”, relata.

De volta à igreja

Surpreendentemente, a bondade de Deus e as sementes plantadas em sua juventude atraíram Caleb de volta à igreja.

“Aos 24 anos, entrei pelas portas da Canvas Community Church. No meu primeiro domingo, eu estava de muletas e usava óculos de sol. Eu cheirava cigarro e bebidas. Eu estava de muletas [por causa de] uma briga algumas noites antes, numa sexta-feira. Chutei alguém na cabeça”, diz Caleb sobre seu estado quando chegou à igreja.

O pastor Johnny Chase notou Caleb sentado atrás e o convidou para almoçar.

Caleb pensou: “Se esse cara souber alguma coisa sobre mim, não vai querer almoçar comigo ... o que há de errado com esse cara?”.

Os dois começaram a almoçar periodicamente e o pastor Johnny passou a compartilhar o Evangelho com Caleb. "Eu continuei indo à igreja, mas comecei a operar dentro de um turbilhão de hipocrisia", diz ele.

Um dia, o pastor perguntou: "O que você faz para viver?"

Caleb mentiu para ele, dizendo: "Faço melhorias em casa e trabalho em casa".

Ao ouvir aquilo o pastor disse: "Isso é ótimo. Por que você não vem à igreja e nos ajuda?”.

Caleb foi ajudar no projeto de pintura da igreja e, mais tarde, o pastor pediu que ele assistisse a um testemunho em vídeo de Todd White.

Caleb conta que ao assistir aquele testemunho imediatamente pensou: “Meu Deus, se você fizer o mesmo por mim eu acreditarei que você é real. Eu acredito que Jesus é o Filho de Deus. Mas preciso mudar minha vida. Não sei como mudar minha vida. Ajude-me…”.

Vida transformada

Embora Caleb frequentasse a igreja, ele não passava tempo sozinho com Deus, lendo sua Palavra. "Nada estava mudando em meu coração porque a Palavra de Deus não estava entrando", ele admite, contando que aquele "turbilhão de hipocrisia" continuava por muitos meses.

Com idas e vindas em seu casamento e tendo que ficar distante do filho, Caleb começou a se voltar mais para sua antiga vida. Sentido-se completamente derrotado, Caleb foi ao pastor Johnny e disse: “Olha, eu não posso mais fazer isso. Há algo que você possa fazer para me ajudar?”.

O pastor falou sobre o Desafio Jovem a Caleb, um ministério cristão de reabilitação de drogas.

"Passei um ano lá", relembra Caleb. "Foi incrível. Devorei a Palavra de Deus pelos 11 meses em que estive lá. Isso me transformou. Eu tive um encontro com o rei Jesus”, lembra-se.

O poder da Palavra e do Espírito finalmente fez com que Caleb se rendesse a Jesus como seu Senhor e Salvador.

"Jesus é o único que pode mudar o viciado", declara. “Jesus é a única força que pode pegar alguém e deixá-lo nascer de novo. Ele é o único que pode levar uma vida de pecado e vergonha e transformá-la em algo bonito."

Caleb e sua esposa Kelsey fundaram os Ministérios de Recuperação Be The Bush em 2018 e conseguiram ajudar mais de 73 pessoas a se libertarem de seus vícios. "Vimos 31 salvamentos e tivemos 22 batismos. Sete foram batizados no Espírito Santo. O batismo do Espírito Santo é outro nível. Isso ajuda você a conter a língua. É uma coisa poderosa”, diz.

"Por que você não o deixa acender você? Por que você não deixa o fogo de Deus atingir sua vida para ser um vaso para o Reino de Deus?”, questiona.

"Vício é escravidão e estamos vendo pessoas saírem da escravidão e entrarem na liberdade que Deus tem para elas. Foi disso que Deus me tirou”, testemunha.

veja também