Líderes explicam porque a Igreja Mundial pode ser uma seita

Líderes explicam porque a Igreja Mundial pode ser uma seita

Atualizado: Terça-feira, 3 Julho de 2012 as 8:41

A Igreja Mundial do Poder de Deus apareceu no resultado do Censo 2010 como uma das denominações que mais cresceu no Brasil.

Essa expansão da igreja de Valdemiro Santiago preocupa líderes de outras denominações pelo fato de ser considerada seita ou bem próxima de uma.

A Igreja Presbiteriana já considerou em seu Supremo Concílio a (IMPD) uma seita, assim como considerou também a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD).

O pastor presbiteriano, rev. Augustus Nicodemus, explica que considera a IMPD uma seita porque faz das 'promessas de bênçãos', inclusive materiais, um ponto de partida para a releitura do evangelho.

“Ao final, o que você tem não é o Evangelho puro e simples das Escrituras, ensinado por Jesus e pelos apóstolos, mas uma religião voltada para a solução dos problemas imediatos das pessoas e que relega a plano secundário – quando não esquece totalmente – aquilo que é central no Cristianismo: a reconciliação com Deus, de ricos e pobres, mediante o arrependimento dos pecados e fé na obra completa de Jesus Cristo”, afirmou ao Cristian Post.

Outro ponto citado por ele e que também é o pensamento do apologista Jonnhy Bernardo, fundador e pesquisador do Instituto de Pesquisas Religiosas (INPR), é a ausência de discipulado e acompanhamento pastoral.

Jhonny lembra que a denominação professa alguns elementos do protestantismo, mas não segue fielmente suas características. "Há forte ênfase em cura, exorcismos, teologia de prosperidade, distorções na cobrança de dízimos e ofertas etc.”

Leia também:

Jesus é vacina contra todos os males

"Entrego nas mãos de Deus e esqueço", diz cantora Vanusa

O reverendo Nicodemus apontou que a pesquisa do IBGE sobre religiões mostrou que o número de pessoas que se dizem protestantes mas que não mais frequentam igrejas passou de 4% do total de evangélicos para 14% nos últimos anos.

Para ele, isso resulta em pessoas desiludidas com o cristianismo protestante e que terão dificuldade em retornar a igrejas evangélicas.

Eles aconselha que aqueles que decidem seguir a Jesus, que busquem uma igreja evangélica pura, ou seja, livre de modismos típicos de igrejas neopentecostais ou mesmo de algumas igrejas "pentecostais” ou “onde o interesse da liderança é com sua vida, seu relacionamento com Deus e não com seu talão de cheques.”


com informações do Christian Post

veja também