Médico vira alvo de investigação por não concordar com a ideologia de gênero

David van Gend está sendo investigado pelo Ministério Público da Austrália por ter expressado sua opinião na internet.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Terça-feira, 31 Julho de 2018 as 4:48

David van Gend pode ser culpado de "conduta discriminatória" por ter feito publicações conservadoras no Twitter. (Foto: Daily Telegraph)
David van Gend pode ser culpado de "conduta discriminatória" por ter feito publicações conservadoras no Twitter. (Foto: Daily Telegraph)

Um médico cristão está sendo investigado pelo Ministério Público da Austrália por ter compartilhado publicações no Twitter que criticavam a "radical doutrinação de gênero" nas crianças.

David van Gend, um clínico geral de Toowoomba, em Queensland, se viu apuros meses depois de ter retweetado postagens do candidato do Partido Conservador ao Senado, Lyle Shelton.

Um dos tweets em questão apresentava uma foto de Shelton posando em um evento em Brisbane com Ryan Anderson, membro sênior da Heritage Foundation, um importante crítico da ideologia transgênero.

O outro tweet mostrava Shelton divulgando um artigo da colunista conservadora Miranda Devine, que criticava as classes de fluidez de gênero nas escolas e o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Notificação

De acordo com uma coluna da Devine, publicada no The Daily Telegraph, David recebeu uma "notificação sobre sua conduta" da Agência Australiana de Regulamentação de Saúde (AHPRA) há duas semanas, exatamente três meses depois que ele retweetou Shelton.

A AHPRA, que tem autoridade para aplicar sanções criminais aos médicos, informou a David que uma queixa foi apresentada questionando sua conduta profissional e disse que ele estava sendo investigado por violar as políticas da diretoria.

A entidade ainda alegou que o médico pode ser culpado de "conduta discriminatória" por causa de seus retweets. "David, um cristão conservador, retweetou esses tweets sem comentários. Essa é a soma total de sua ofensa", escreveu a colunista Devine.

Mais especificamente, a notificação da entidade sustentou que, enquanto David se apresentou como um médico, ele forneceu informações que "claramente não são médicas e não baseadas cientificamente".

"O praticante retwittou os tweets de Lyle Shelton promovendo livros que são contra a doutrinação radical de gênero de crianças", diz a denúncia. Devine relata que David deve explicar por escrito se seus retweets promovem a "saúde da comunidade" e "promove a saúde e o bem-estar de pacientes individuais".

Direitos de liberdade de expressão

Funcionários da AHPRA não puderam ser contatados pelo The Christian Post para comentários até o momento. O caso de David pode ter um grande impacto sobre os direitos de liberdade de expressão de médicos conservadores e religiosos na Austrália.

Em um comunicado de imprensa, Shelton foi à defesa de David, dizendo que as implicações de seu caso vão muito além do campo da medicina. "Se a Junta Médica pode punir um profissional médico por questionar o motivo do sexo das crianças ser fluido, Deus ajude os pais que tentam proteger seus filhos de serem doutrinados na escola", disse Shelton em um comunicado.

"Se a Junta Médica está tão confiante de que o gênero infantil é fluido, por que não permite discussão e debate? Por que deve usar seu poder para esmagar até mesmo o questionamento da ciência contestada? É muito mais fácil isolar as pessoas do que ter uma discussão apropriada, mas infelizmente a liberdade de expressão não é o caminho das elites modernas politicamente corretas", alertou.

veja também