Milhares de refugiados afegãos nos EUA podem ser evangelizados: “Deus abriu oportunidade”

Para uma organização cristã missionária, o reassentamento de refugiados apresenta oportunidades para o Evangelho.

Fonte: Guiame, com informações de MNNAtualizado: quarta-feira, 16 de fevereiro de 2022 13:29
Afegãos encontram refúgio em diversos países. (Foto: EU Civil Protection and Humanitarian Aid/Flickr)
Afegãos encontram refúgio em diversos países. (Foto: EU Civil Protection and Humanitarian Aid/Flickr)

Em fevereiro, começou um processo de reassentamento acelerado para refugiados nos Estados Unidos. Mais de 3 mil afegãos serão transferidos de bases militares para locais onde poderão reconstruir suas vidas em segurança.

A proposta foi elogiada pela Acnur — Agência da ONU para Refugiados — e mostra que o plano reflete “o compromisso do governo americano” em garantir que os refugiados mais vulneráveis sejam tratados com dignidade. 

Mas, não é o contexto político que chama a atenção do Projeto Joshua e sim a oportunidade de evangelizar essas pessoas. “O reassentamento de refugiados apresenta oportunidades para o Evangelho”, disse um dos representantes da organização cristã, com sede em Colorado. 

O Projeto Joshua coordena o trabalho de organizações missionárias para rastrear os grupos étnicos do mundo com o menor número de seguidores do cristianismo. Para isso, mantém dados etnológicos para apoiar as missões cristãs. 

“Uma grande oportunidade de evangelização”

Segundo os organizadores, desde agosto de 2021 cerca de 75 mil refugiados afegãos entraram nos EUA. Dessa população, 68 mil já fizeram a transição de bases militares para comunidades americanas. 

“O Deus soberano dispersou os afegãos para que agora sejam nossos vizinhos. Para os cristãos americanos, acho que essa é uma grande oportunidade”, disse Len Bartlotti, consultor intercultural especializado no Afeganistão e no Paquistão.

O Projeto Joshua aponta para dados importantes: 68 dos 70 grupos de pessoas no Afeganistão são considerados “não alcançados”, ou seja, ainda não tiveram acesso ao Evangelho. 

“A maioria desses afegãos nunca conheceu um verdadeiro cristão, nunca ouviu sobre Jesus e nunca leu a Bíblia em seu idioma. Eles não são resistentes, eles são negligenciados”, disse Bartlotti.

Segundo ele, o povo afegão faz parte de um terço da humanidade que não teve chance de conhecer a Cristo.

“Ore para que Deus se revele a esses afegãos”

“Deus está nos dando uma oportunidade neste estágio da história de olhar para os campos e identificar aqueles povos que não tiveram a oportunidade de ouvir o Evangelho. Deus está se movendo”, enfatizou. 

Bartlotti disse que os americanos devem perguntar a Deus como podem ajudar os refugiados afegãos a encontrar Jesus.

“Precisamos pedir ao Senhor que nos dê olhos para ver quem está ao nosso redor. Jesus ajudou a todos os que estavam com Ele no caminho. Então, ame a todos os que cruzam seu caminho”, continuou.

“Ore para que Deus se revele a esses afegãos. Somos acolhedores e damos as boas-vindas a eles, em nome de Cristo”, finalizou.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições