Psicóloga cristã alerta para aumento de casos de Síndrome de Burnout entre pastores

Valquíria Salinas afirma que o distúrbio, relacionado ao trabalho, também pode atingir líderes cristãos.

Fonte: Guiame, com informações do Site Mulher CristãAtualizado: quinta-feira, 10 de março de 2022 11:51
 O distúrbio, relacionado ao trabalho, também pode atingir líderes cristãos. (Foto: Unsplash/Ben Branco).
O distúrbio, relacionado ao trabalho, também pode atingir líderes cristãos. (Foto: Unsplash/Ben Branco).

A psicóloga cristã Valquíria Salinas chamou a atenção para o aumento de casos de Síndrome de Burnout entre líderes cristãos, em artigo para o site Mulher Cristã. 

Casos de Burnout se multiplicaram durante a pandemia da Covid-19, com a adoção do home office somada a tensão e fadiga da crise do coronavírus. O distúrbio, que provoca estresse devastador relacionado ao trabalho, também pode atingir pastores, segundo a especialista.

Valquíria explica que os sintomas apresentados pelos trabalhadores ministeriais são os mesmos dos profissionais no ambiente de trabalho: esgotamento físico e mental e sentimento de incapacidade, levando a depressão, ansiedade e até pensamentos suicidas.

“Infelizmente, já soubemos de alguns líderes que não buscaram ajuda e chegaram a cometer suicídio. As doenças psicossomáticas como diabetes, enxaqueca, úlceras e outras, nunca foram tão presentes na vida de tantos líderes como atualmente”, afirmou.

De acordo com a psicóloga, a síndrome também pode causar queda de cabelo, crise de choro, aumento da pressão arterial, taquicardia e problemas gastrointestinais. Salinas ressalta que o Burnout não acontece da noite para o dia, mas que as mudanças vão aparecendo aos poucos.

“Muitas pessoas que são acometidas da Síndrome de Burnout percebem que algo está errado, porém preferem negar, fugindo de seus defeitos e gerando um distanciamento social, pois também acabam só cuidando de sua igreja e acabam não saindo com seus filhos e esposa”, explica Valquíria.

A maioria dos indivíduos que desenvolvem a síndrome possuem profissões com contato direto com outras pessoas, como pastores, policiais, professores e enfermeiros. A psicóloga afirma que quando a pessoa tem sua primeira crise, ela chegou a seu limite e se sente esgotada, percebendo que o excesso de trabalho atingiu sua saúde mental. 

O exemplo de um pastor exausto

Salinas deu o exemplo de um de seus pacientes que era pastor e também trabalhava na construção civil. O líder cristão havia sofrido um acidente de moto e passado por cirurgia, passado alguns dias, sofreu outro acidente ao cair do segundo andar de um prédio.

“Deprimido, com crises de pânico, tinha uma personalidade bastante exigente. Ele foi diagnosticado com Síndrome de Burnout, e o primeiro passo foi, com certeza, reconhecer que estava esgotado”, relatou.

Então, o pastor desacelerou e mudou seu estilo de vida. Ele passou a fazer exercícios físicos, cuidou da saúde espiritual e mental, tirou férias e passou a ter mais momentos de lazer com a família. Conforme a psicóloga, o líder aprendeu a tolerar frustrações, a não se cobrar tanto e continuou o tratamento com terapia.

Burnout não é falta de fé

“Pessoas exaustas não tem condições de oferecer nada a ninguém. A exaustão atrapalha a pessoa, dificultando, inclusive, na sua espiritualidade, não conseguindo oferecer carinho, amor e até mesmo uma palavra amiga a alguém”, afirmou Salinas.

Segundo a especialista, dependendo do caso, o tratamento para o distúrbio pode incluir o uso de medicamentos, como antidepressivos.

“Deixar de lado a ignorância e a negação, é o primeiro passo para se ter o conhecimento das causas da síndrome, e avançar para a mudança de comportamento”, ressaltou. 

Valquíria também destacou que Burnout não é falta de fé como muitos julgam de forma errada, lembrando o caso bíblico do profeta Elias que se esgotou e chegou a fugir. 

Para aqueles que se identificam com sua fala, a psicóloga deixa um conselho. “Não perca sua fé. A palavra de Deus diz em Mateus 11.28: ‘Vinde a mim todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei’. E se necessário procure ajuda psicológica, em Mateus 9:12 diz: ‘Não só os que têm saúde precisam de médico, mas sim os doentes’”, concluiu.



Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições