Trump pede que igrejas sejam reabertas nos EUA: "Precisamos de mais orações, não menos"

O presidente dos EUA classificou as igrejas como essenciais e pediu aos governadores estaduais que permitam a reabertura dos templos.

fonte: Guiame, com informações da Billy Graham Evangelistic Association

Atualizado: Segunda-feira, 25 Maio de 2020 as 8:34

Trump falou com a mídia na Casa Branca, na última sexta-feira, sobre seu pedido que as igrejas sejam reabertas. (Foto: AP Photo/Alex Brandon)
Trump falou com a mídia na Casa Branca, na última sexta-feira, sobre seu pedido que as igrejas sejam reabertas. (Foto: AP Photo/Alex Brandon)

O presidente dos EUA, Donald Trump classificou as igrejas como "essenciais" durante as declarações que fez na Casa Branca na última sexta-feira (22) e pediu aos governadores que lhes permitam reabrir imediatamente.

Os líderes estaduais mostraram abordagens variadas para reabrir lugares que são classificados como não essenciais. As operações essenciais realmente nunca fecharam, mesmo quando as medidas para ficar em casa foram adotadas em todo o país em março, em resposta à rápida disseminação do COVID-19.

"Queremos que nossas igrejas sejam [re]abertas", disse Trump a um grupo de motociclistas durante uma cerimônia na Casa Branca em homenagem aos veteranos de guerra dos EUA na última sexta-feira. “Queremos nossos lugares de fé — sinagogas, igrejas — sejam reabertos. E isso vai começar a acontecer. Eu os considero essenciais, e essa é uma das coisas que estamos dizendo. Nós vamos tornar isso essencial".

Trump também se encontrou com membros da mídia na sexta-feira. Durante a coletiva improvisada, ele classificou as casas de culto como "lugares essenciais que fornecem serviços essenciais".

"São lugares que mantêm nossa sociedade unida e mantêm nosso povo unido", disse Trump à mídia durante sua mensagem de 2 minutos.

“Milhões e milhões de americanos adotam a adoração como parte essencial de suas vidas. … Os governadores precisam fazer a coisa certa e permitir que esses locais de fé abram agora neste final de semana”, disse ele. "Na América, precisamos de mais oração, não menos".

O presidente e CEO da Associação Evangelística Billy Graham, pastor Franklin Graham apoiou a mensagem de Trump.

"Obrigado, presidente Donald J. Trump, por defender as comunidades religiosas da América", disse Graham em um post no Facebook. “Sem dúvida, as igrejas são essenciais para nossas vidas individuais e para o futuro de nosso país. Acredito que os pastores podem tomar as precauções necessárias, seguindo as diretrizes fornecidas pelo CDC [Centro de Controle e Prevenção de Doenças], para reabrir com segurança, e estou ansioso para ver isso acontecer”.

Graham também incentivou os cristãos a orarem por Donald Trump.

"Continuem orando para que o Presidente tenha proteção e sabedoria vindas de Deus, enquanto lidera nossa nação neste período de pandemia, e o deixem ciente o que essa decisão significa para vocês", finalizou.

veja também