Cristãos sírios oram e beijam a Bíblia antes de enfrentar batalha contra a Turquia

Depois da retirada das tropas americanas da Síria, a Turquia iniciou ataques contra curdos no nordeste do país.

fonte: Guiame, com informações da CBN News

Atualizado: Sexta-feira, 11 Outubro de 2019 as 9:58

Soldados cristãos sírios vão à igreja antes de enfrentar a Turquia. (Foto: Twitter/Coordination & Military Ops Center - SDF)
Soldados cristãos sírios vão à igreja antes de enfrentar a Turquia. (Foto: Twitter/Coordination & Military Ops Center - SDF)

A Turquia intensificou ataques aéreos e terrestres contra milícias curdas no nordeste da Síria nesta sexta-feira (11), forçando mais de 60 mil pessoas a deixarem suas casas em menos de um dia.

A ofensiva foi iniciada depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, retirou as tropas americanas que estavam lutando ao lado das forças curdas contra militantes do Estado Islâmico. Sua decisão abriu uma nova frente na guerra civil síria de oito anos e atraiu críticas de evangélicos.

Em Washington, Trump — que nega as acusações de ter abandonado os curdos, aliados dos EUA — sugeriu que seu governo pode mediar o conflito e ameaçou impor sanções à Turquia.

Nesta sexta, aviões de guerra e artilharia turcos atacaram Ras al Ain, na Síria, uma das duas cidades fronteiriças com a Turquia, de acordo com a Reuters.

Um comboio de 20 veículos blindados, transportando rebeldes sírios aliados da Turquia, entrou na Síria a partir da cidade turca de Ceylanpinar. Alguns fizeram sinais de vitória, gritando “Allahu akbar” (“Alá é o maior”) e agitando bandeiras enquanto avançavam em direção a Ras al Ain.

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, anunciou que pelo menos 109 “terroristas” foram mortos até ao momento, referindo-se a integrantes das milícias curdas.

Desde o início do conflito na quarta-feira (9), o Crescente Vermelho curdo disse que houve 11 mortes civis confirmadas até agora e 28 feridos graves. Pelo menos cinco pessoas, incluindo um bebê sírio, teriam sido mortas em bombardeios curdos nas cidades fronteiriças turcas.


Imagem de Akcakale, na Turquia, mostra ataques à cidade síria de Tal Abyad. (Foto: AFP)

O Observatório Sírio de Direitos Humanos registrou pelo menos 29 mortes entre as Forças Democráticas Sírias (FDS) e 17 entre os rebeldes sírios pró-turcos, o Exército Nacional Sírio, quando mais de 10 aldeias caíram nas mãos dos turcos.

Enquanto isso, alguns combatentes cristãos das Forças Democráticas Sírias foram à igreja para orar e beijar a Bíblia antes de voltar para a linha de frente e defender sua terra natal contra a invasão turca.

“Soldados cristãos dentro das Forças Democráticas Sírias na igreja de Derik, em Al-Malikiyah, antes de ir para as linhas de frente para defender seu território contra ataques turcos”, disse a FDS em sua página oficial no Twitter.

veja também