Fernando Henrique Cardozo afirma que desvios ocorreram até com Jesus

Abordado na delação, Delcídio ressaltou que o “petrolão” não surgiu agora, mas que desvios já aconteciam na Petrobras durante o governo FHC.

Fonte: Guiame, com informações das agências de notíciasAtualizado: sexta-feira, 18 de março de 2016 15:46
Fernando Henrique não quis falar com jornalistas e tem evitado se comunicar com a imprensa. (Foro: Reprodução).
Fernando Henrique não quis falar com jornalistas e tem evitado se comunicar com a imprensa. (Foro: Reprodução).

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que foi citado na delação do senador Delcídio do Amaral, afirmou na última quarta-feira, 16, que sempre houve corrupção e desvios na história mundial, até mesmo nos tempos de Jesus Cristo. Fernando tem evitado comentar sobre a denúncia feita pelo parlamentar, alegando que houve fraudes na gestão tucana em contratos da Petrobras. Todavia, FHC declarou que o governo do Partido dos Trabalhadores (PT) instituiu um “sistema organizado de corrupção”.

“No meu governo, no tempo de Jesus Cristo, houve alguém que fez alguma coisa errada. Sempre ocorreu. O que não tem é a implicação da organização com a benção do governo”. A frase foi dita pelo ex-líder da nação durante sua participação em uma palestra em São Paulo, promovida pela Tokio Marine Seguradora.

Abordado na delação, Delcídio ressaltou que o “petrolão”, esquema de corrupção, não surgiu agora, mas que os desvios que aconteciam na Petrobras durante o governo FHC eram semelhantes aos que foram registrados no governo do PT. O senador foi diretor da empresa na gestão do ex-presidente tucano.

Nem o senador Aécio Neves (MG) escapou das denúncias. O parlamentar também as teceu contra o presidente nacional do PSDB, alegando Aécio de ter recebido, supostamente, propina de Furnas e de ter tentado atrapalhar as investigações do mensalão tucano.

Fernando Henrique não quis falar com jornalistas e tem evitado se comunicar com a imprensa. Durante o evento, ele disse que as “delações crescentes” no âmbito da Operação Lava-Jato mostram que “não se trata de um eventual desvio de conduta”, mas de uma ação organizada pela gestão federal.

“Isso tem sempre. ‘Ah, sempre tem corrupção na história?’ Não é isso que estamos discutindo aqui. É a organização como um sistema. A utilização de funções públicas com objetivos de obter vantagens para os partidos e para si, talvez mais para os partidos do que para si, mas não importa. Foi criado um sistema organizado e não é que fulano se corrompeu”, ressalvou. O ex-presidente ainda disse que o Brasil vive uma crise moral e de lideranças e que o governo tem dificuldade de se comunicar “entre si e com o país”.

Bom exemplo

Contrastando com exemplos do atual partido em gestão nacional, o Deputado Federal Tiririca protagonizou um episódio bastante curioso diante um meio de corrupção na política. Com seu nome citado na delação de Delcídio, o documento alega que o deputado teria sido convidado para fazer parte da lista de políticos que teriam como missão barrar a CPI da Petrobrás.

Para isso foi oferecido o valor de R$ 500 mil para ele votar contra a instauração da Comissão Parlamentar de Inquérito que investigaria o escândalo da estatal. “Nunca mais mande ninguém pra me oferecer dinheiro em troca de votos. Voto com minha consciência pensando no que pode ser melhor pro povo”, foi a resposta de Tiririca.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições