Pela primeira vez, cristão é nomeado para presidir Suprema Corte do Egito

O presidente do Egito empossou na quarta-feira (09) o primeiro um cristão copta para chefiar a mais alta corte do país.

Fonte: Guiame, com informações do APAtualizado: quarta-feira, 9 de fevereiro de 2022 16:19
Recém-nomeado presidente do Supremo Tribunal Constitucional do Egito, o juiz Boulos Fahmy Eskandar [à esq.] foi empossado perante o presidente Abdel-Fattah El-Sisi na quarta-feira, 9 de fevereiro de 2022. (Foto cortesia da Presidência egípcia)
Recém-nomeado presidente do Supremo Tribunal Constitucional do Egito, o juiz Boulos Fahmy Eskandar [à esq.] foi empossado perante o presidente Abdel-Fattah El-Sisi na quarta-feira, 9 de fevereiro de 2022. (Foto cortesia da Presidência egípcia)

O presidente Abdel Fattah el-Sisi emitiu um decreto nomeando o conselheiro O recém-nomeado presidente do Supremo Tribunal Constitucional (SCC) do Egito, o juiz Boulos Fahmy Eskandar, foi empossado perante o presidente Abdel-Fattah El-Sisi na quarta-feira, 9 de fevereiro de 2022. (foto cortesia da Presidência egípcia) como chefe do Supremo Tribunal Constitucional do Egito, a partir de 9 de fevereiro, segundo publicação no Diário Oficial desta terça-feira (8).

O juiz Boulos Fahmy é a 19ª pessoa a presidir o Supremo Tribunal Constitucional desde que foi estabelecido em 1969.

O presidente El-Sissi escolheu Fahmy, de 65 anos, entre os cinco mais velhos dos 15 juízes em exercício do tribunal, conforme prescrito pela lei. Sua nomeação como juiz-chefe foi bem recebida por muitos no país de maioria muçulmana.

Fahmy sucederá o juiz Saeed Marei, que se aposentou por motivos de saúde, segundo Mohammed Bassal, respeitado especialista em assuntos judiciais do Egito e gerente editorial do jornal Shorouk.

Moushira Khattab, chefe do Conselho Nacional de Direitos Humanos nomeado pelo governo, saudou a decisão como “histórica” e “um movimento gigante” no campo dos direitos políticos e civis.

Impacto para os cristãos

No entanto, Ishak Ibrahim, um proeminente especialista em assuntos cristãos no Egito, disse em um post no Facebook que a medida terá pouco impacto no fim da discriminação contra os cristãos, pois eles estão muito sub-representados nas instituições estatais do Egito.

“Não terá um impacto significativo na eliminação da discriminação e na garantia de oportunidades para todos os cidadãos com justiça e igualdade”, disse ele.

“Poderemos dizer que há uma melhora significativa quando descobrirmos que a porcentagem (de cristãos que ocupam cargos) passou de cerca de 2% para uma porcentagem próxima à numérica”, acrescentou.

Os cristãos, que representam quase 10% da população de mais de 102 milhões do Egito, há muito se queixam de discriminação nas mãos da maioria muçulmana. Os ativistas também dizem que os cristãos coptas são discriminados e mantidos em altos cargos.

Desde que assumiu o cargo em 2014, a maioria dos cristãos vê el-Sissi como seu protetor e aliado em oposição aos islâmicos. Ele geralmente assiste à missa de Natal ortodoxa como uma demonstração de solidariedade com os coptas.

Ele também tomou medidas para capacitar os cristãos, incluindo a nomeação da primeira mulher cristã copta como governadora da província em 2018. Ele também permitiu a construção de igrejas em todo o país após décadas de restrições.

 

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições