Putin pede desculpas a Israel após chanceler dizer que Hitler tinha ‘sangue judeu’

As palavras de Sergei Lavrov foram consideradas “imperdoáveis e ultrajantes” para o ministro das Relações Exteriores de Israel.

Fonte: Guiame, com informações de CNN e YahooAtualizado: sexta-feira, 6 de maio de 2022 12:20
Vladimir Putin, presidente da Rússia. (Foto: Wikimedia Commons)
Vladimir Putin, presidente da Rússia. (Foto: Wikimedia Commons)

O presidente russo, Vladimir Putin, pediu desculpas ao primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennet, após comentários do ministro das Relações Exteriores, Sergei Lavrov. 

No último fim de semana, Lavrov disse: “Acho que Hitler também tinha origens judaicas”, declarou durante uma entrevista a um programa de televisão na Itália. 

O ministro russo comentava sobre a ideia de Moscou “desnazificar” a Ucrânia — o que é questionado também por Volodymyr Zelensky ser judeu, de acordo com informações do Yahoo. 

Depois disso, os dois países travaram uma “guerra de palavras” e o clima ficou tenso. Lavrov disse ainda que “Adolf Hitler tinha sangue judeu” e que “os antissemitas mais ardentes são geralmente judeus”. 

Para o ministro das Relações Exteriores de Israel, Yair Lapid, as indiretas foram “imperdoáveis ​​e ultrajantes”. 

Pedido de desculpas

Após a fala de Lavrov, o governo israelense convocou o embaixador da Rússia em Israel para dar explicações. Além disso, Dani Dayan, presidente do Yad Vashem — museu do Holocausto de Israel — afirmou que os comentários de Lavrov foram “infundados, delirantes e perigosos, e merecem ser condenados”.

Bennet comentou, nesta quinta-feira (05), que falou com Putin por telefone e o russo teria pedido desculpas, que foram aceitas pelo primeiro-ministro de Israel. 

Segundo Bennet, ele aproveitou a ocasião para pedir que a Rússia permitisse a criação de um corredor humanitário para tirar civis da cidade de Mariupol, em especial do complexo de Azovstal.

De acordo com informações de O Globo, Putin prometeu permitir a retirada de civis, incluindo os feridos, através do corredor humanitário da ONU e da Cruz Vermelha”, informou o governo em comunicado, acrescentando que o presidente russo também parabenizou Israel por ocasião do 74º aniversário da independência do país, ocorrida em 1948.

Sobre as tensões entre Rússia e Israel

Desde o início da invasão russa à Ucrânia, em 24 de fevereiro, Israel tenta manter um delicado equilíbrio entre Kiev e Moscou. 

Apesar de expressar seu apoio à Ucrânia, o governo inicialmente evitou criticar diretamente Moscou, um ator importante na Síria, e também adotar sanções formais contra oligarcas russos, bilionários que têm laços com o Kremlin.

Porém, todas as vezes que o Holocausto é citado, isso fere o coração dos judeus, pois minimiza os horrores vividos pelo povo. 

Durante o Holocausto, na Segunda Guerra, o regime nazista foi responsável pelo extermínio de seis milhões de judeus.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições