Última clínica de aborto do Mississippi fecha, após lei entrar em vigor

O fechamento da clínica foi acompanhado por manifestantes a favor e contra o aborto.

Fonte: Guiame, com informações da CBN NewsAtualizado: segunda-feira, 11 de julho de 2022 11:58
No Mississipi, a única clínica de aborto do estado fechou suas portas na semana passada (Foto: Reprodução CBN News)
No Mississipi, a única clínica de aborto do estado fechou suas portas na semana passada (Foto: Reprodução CBN News)

A queda do dispositivo Roe v. Wade, que permitia o aborto nos EUA provoca fechamentos de clínicas que realizavam o procedimento em todo o país.

No Mississipi, a única clínica de aborto do estado fechou suas portas na semana passada.

A Jackson Women's Health Organization, também conhecida como "Pink House", fechou um dia antes da lei de gatilho do Mississippi entrar em vigor, relata o WLBT News.

A lei de gatilho proíbe todos os abortos realizados cirurgicamente ou quimicamente, com exceção de gestações por estupro e se a vida da mãe estiver em risco. As vítimas de estupro são obrigadas a relatar o incidente à polícia.

"À medida que avançamos neste mundo pós-Roe, o povo do Mississippi e de todos os estados poderão se engajar plenamente no trabalho de empoderamento das mulheres e promoção da vida. Estou grato que o Tribunal nos deu esta oportunidade", disse o procurador-geral Lynn Fitch.

Arrependimento

O fechamento da clínica foi acompanhado por manifestantes contra e a favor do aborto.

"Infelizmente, fiz um aborto há 31 anos", contou Regina Minga. "E então eu pensei que simplesmente iria embora, e não foi, e ficou cada vez mais real. E então meu coração dói. Eu acabei de vir aqui, apenas agradecendo a Deus que talvez não haja mais mamães, ou bebês e até os pais passam por esse arrependimento porque a morte é final. E você simplesmente não está pronto para isso."

O governador Tate Reeves comemorou o encerramento, pelo Twitter: "Hoje acordamos em um estado em que as portas da igreja estão abertas e as portas da clínica de aborto estão fechadas. Toda a glória a Deus Pai! Amém!"

Medicamentos abortivos

Os defensores do aborto se disseram preocupados com o futuro das mulheres que desejam interromper a gravidez.

"Pode haver abortos malfeitos, abortos clandestinos", explicou Summer Stewart. "Também temos que pensar na vida das mulheres e das pessoas com útero que não querem filhos... o sistema de acolhimento pode estar sobrecarregado. As assistentes sociais (e) as assistentes sociais já estão sobrecarregadas. Quer dizer, não há apoio sistema."

A proprietária da clínica Jackson Women's Health Organization, Diane Derzis, disse à NPR News que a clínica se mudará para Las Cruces, Novo México, cerca de 64 quilômetros ao norte de El Paso, Texas.

"O Novo México, por enquanto, é um estado muito receptivo. Fomos bem-vindos. E isso obviamente fica mais perto das fronteiras do Texas e Oklahoma e do Arizona. Então, parecia um dos lugares que precisamos estar", Derzis disse.

Joe Biden, presidente americano, anunciou uma ação executiva para promover o acesso ao aborto, enviando diretrizes pró-escolha aos Departamentos de Justiça e Saúde e Serviços Humanos.

O objetivo da Casa Branca é garantir o acesso a medicamentos abortivos aprovados pelo governo federal e garantir viagens através das fronteiras estaduais para acessar clínicas de aborto.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições