‘Você só ora’, diz mãe que entregou filho à polícia ao descobrir planos de atentado

Jovem de 17 anos havia supostamente descrito uma série de planos criminosos em seu diário.

Fonte: Guiame, com informações do ABC7 e FaithwireAtualizado: quinta-feira, 28 de julho de 2022 17:44
Nichole Schubert chora ao contar sua decisão sobre denunciar o filho. (Captura de tela/Good Morning America)
Nichole Schubert chora ao contar sua decisão sobre denunciar o filho. (Captura de tela/Good Morning America)

A tristeza de Nichole Schubert foi dupla. Primeiro ao descobrir que seu filho guardava planos para efetuar uma “horrível onda de assassinatos”. Segundo, porque ela mesma o entregou à polícia pelas supostos intenções criminosas.

O pesadelo da mãe começou em 2019, quando descobriu escritos preocupantes no diário de seu filho de 17 anos.

Schubert encontrou detalhes descrevendo uma “horrível onda de assassinatos” que supostamente começaria com sua própria morte e se expandiria para a escola de seu filho, de acordo com o apresentador do “Good Morning America”, TJ Holmes.

“Foi muito descritivo. Foi simplesmente de partir o coração. Eu realmente não queria saber os detalhes”, disse Schubert a Holmes, chamando a revelação de “devastadora”.

“Esse é meu filho. Eu dei à luz a ele. Isso machuca muito", desabafou a mulher aos prantos.

Decisões dolorosas

Schubert conta que não perdeu tempo e tomou duas decisões dolorosas: ela chamou a polícia para prender seu filho e relatou o que ele escreveu no diário. Depois, compartilho sobre um artefato que encontrou, o que ela achava que poderia ter sido uma bomba caseira no quarto de rapaz.

A decisão da mãe foi ousada e ela diz que não se arrepende, apesar do impacto que teve na vida do filho e na família.

“Se houver a possibilidade de salvar uma pessoa, uma criança, acho que vale a pena”, disse Schubert. “Não me arrependo porque acredito que salvei vidas.”

Até hoje o rapaz mantém sua versão de que o diário continha uma mera história de fantasia e nada mais. Apesar disso, ele se declarou culpado de um crime por ameaçar com bomba ou ferir propriedades. Mais tarde, ele completou a reabilitação e serviço comunitário.

‘Fique atento aos filhos’

Schubert reconhece que sua situação era difícil diante da descoberta, mas que escolheu potencialmente salvar outras pessoas em vez de proteger seu filho das eventuais ilegalidades.

“Seu primeiro instinto como pai é proteger seu filho, mas, naquele momento, senti que, se ele realmente fizesse essas coisas, estaria mais seguro na prisão”, afirma a mãe.

A mulher também fez um apelo a outros pais, que criam filhos em uma época de confusão e tiroteios em escolas: estejam presentes na vida das crianças.

"Fique no negócio deles", disse ela. “Como pais, é nosso trabalho saber o que nossos filhos estão fazendo. Apenas fique atento e observe os sinais.”

"Obviamente, não podemos controlar as ações de nossos filhos o tempo todo. Quem pode? Mas há sinais de que algo não está certo, algo, você sabe, por que ele está agindo estranho? Por quê? Por que ele está tão consigo mesmo?", ela continuou. "Eu estava no quarto dele, sabe? O que você está fazendo? Aonde você vai? O tempo todo. E ele odiava. Mas ele está vivo. E todo mundo está vivo e ele não está na cadeia."

Já se passaram três anos desde que Schubert tudo aconteceu. Hoje, o jovem está trabalhando e pretende ir para a faculdade. Quanto a Schubert, ela disse que sempre amará seu filho.

“Você apenas ora. Você simplesmente ora para que Deus os ajude a fazer as escolhas certas ao longo da vida. Por que o que mais você pode fazer?”, ela disse.

“Ele tem mais de 18 anos agora. Ele é meu filho. Eu o amo incondicionalmente. Eu sempre estarei lá para ele. Eu sempre vou amá-lo, não importa o que ele faça.”

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições