MENU

Câmara debate Fronteiras do Ensino Profissional

Câmara debate Fronteiras do Ensino Profissional

Atualizado: Quinta-feira, 13 Novembro de 2008 as 12

Especialistas dos continentes americano, europeu e asiático participaram no dia 10 de novembro, na Câmara dos Deputados, do 2º Seminário Internacional Fronteiras do Ensino Profissional. O evento pretende apresentar diferentes experiências na área de políticas educacionais, de forma a contribuir para a construção de soluções para a educação técnica de nível médio brasileira.

O objetivo final do encontro é aprofundar as análises sobre os desafios da educação técnica no Brasil, a partir dos resultados positivos observados nas políticas educacionais de ensino médio diversificado de países como Finlândia, Alemanha, Estados Unidos, Áustria e Suíça.

“A expansão da rede de ensino técnico e profissionalizante já abriu 23 mil cargos”, informou o coordenador geral de Planejamento e Gestão da Secretaria de Educação Técnica e Tecnológica do Ministério da Educação, Alexandre Vidor, que representou o ministro Fernando Haddad na abertura do seminário.

“É uma oportunidade para conhecermos experiências bem-sucedidas em outras partes do mundo e compará-las às nossas experiências”, disse o coordenador do evento e presidente da Comissão de Educação e Cultura da Câmara, deputado João Mattos (PMDB-SC). Ele disse que, com o evento, pretende-se identificar tendências e áreas de articulação entre o ensino médio e a educação superior, além de formas de garantir sintonia entre a educação profissional e as demandas do mundo do trabalho, dentro de uma perspectiva de inclusão social.

Diretor de Administração do Conselho Nacional de Educação da Finlândia, Kari Pitkanen falou sobre o tema A Nova Escola Secundária Finlandesa e suas Mudanças na Educação Técnica-Vocacional. Entre 2006 e 2008, Pitkanen liderou a equipe responsável pelo projeto da União Européia para a Bósnia Herzegovina, na tentativa de recuperar o sistema de educação do país.

O treinamento vocacional na Áustria e na Suíça alemã foi apresentado, em seguida, pelo pesquisador da Faculdade de Educação da Universidade de Siegen (Alemanha), Rolf Seubert.

O diretor do Programa Internacional de Doutorado em Educação (Inedd), Bernhard Fichtner, fala à tarde sobre o quadro de referência do Tratado de Bolonha – assinado em 1999 por 29 ministros de Educação de países europeus, visando à implantação do Espaço Europeu de Ensino Superior.

As carreiras acadêmicas dos Estados Unidos serão apresentadas por dois especialistas: David Holmes, chefe de uma organização que ajuda jovens com deficiência de aprendizagem a continuarem os estudos e ingressarem no ensino superior, e Lonnie Barber, superintendente-geral das escolas de Idaho.

O Brasil estará representado pela chefe do Centro Técnico-Pedagógico da Diretoria de Educação Profissional do Departamento Nacional do Sistema Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Sesc-Senac), Maria Helena Barreto – que falará, à tarde, sobre a educação profissional na perspectiva de uma educação continuada – e pelo consultor Cândido Alberto Gomes, que ministrará a palestra Síntese e Lições da Experiência Internacional, abordando as discussões e palestras realizadas ao longo do dia.

O Seminário é uma realização da Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, em parceria com o Sesc-Senac. Tem como público-alvo parlamentares, gestores públicos estaduais e municipais, dirigentes de instituições de ensino, especialistas em educação, educadores e estudantes de pedagogia e de disciplinas afins.

veja também