Pela primeira vez, Emirados Árabes Unidos têm cabana montada para Festa dos Tabernáculos

A novidade veio após “Acordos de Abrão”, com um acordo mediado pelos EUA para normalizar as relações entre os Emirados Árabes Unidos e Israel.

fonte: Guiame, com informações do Israel 360 e Times of Israel

Atualizado: Terça-feira, 6 Outubro de 2020 as 2:49

Rabino Levi Duchman, em frente a uma sucá montada no restaurante kosher KAF no Armani Hotel em Dubai, Emirados Árabes Unidos, em 5 de outubro de 2020. (AP / Kamran Jebreili)
Rabino Levi Duchman, em frente a uma sucá montada no restaurante kosher KAF no Armani Hotel em Dubai, Emirados Árabes Unidos, em 5 de outubro de 2020. (AP / Kamran Jebreili)

Os visitantes do edifício mais alto do mundo, um cilindro estreito de alumínio e vidro que se tornou emblemático da Dubai moderna, podem encontrar uma visão improvável esta semana: uma pequena estrutura em forma de tenda feita de varas, folhas e barbante.

A novidade veio na esteira dos “Acordos de Abraão”, em frente ao edifício mais alto do mundo, o Burj Khalifa onde foi montada uma Sukkah (cabana).

A Sucá foi construída em coordenação com as autoridades locais e forças de segurança de Dubai, e o rabino da comunidade judaica de Dubai, Rabino Levi Duchman.

“A comunidade judaica aqui vive em segurança e paz graças às autoridades”, disse Duchman. “Na sucá, assim como na sinagoga, oraremos pelo sucesso das autoridades e pela saúde de Mohammed bin Zayed bin Sultan Al Nahyan, o príncipe herdeiro de Abu Dhabi.”

A comunidade judaica anunciou que a sucá estava aberta a todos e que “todo judeu que vive aqui regularmente ou veio aqui para um propósito ou outro é convidado para a nossa sucá. É claro que também está aberto ao povo dos Emirados que nos aceita de braços abertos”.

Festa dos Tabernáculos

A sucá é uma cabana temporária construída para uso durante a festa bíblica de Sucot (Festa dos Tabernáculos ou das Cabanas), que dura uma semana. O livro de Vayikra (Levítico) o descreve como um abrigo simbólico no deserto, comemorando o tempo que Deus providenciou para os israelitas no deserto que habitavam depois que foram libertados da escravidão no Egito.

Durante o festival, os judeus comem e dormem e passam algum tempo na sucá. No judaísmo, Sucot é considerada uma ocasião alegre e é referida em hebraico como Yom Simchateinu (o dia de nossa alegria) ou Z'man Simchateinu (o momento de nossa alegria), e a própria sucá simboliza a fragilidade e transitoriedade da vida e sua dependência de Deus.

Para observar adequadamente o feriado, 150 conjuntos das “Quatro Espécies” chegaram a Dubai dos Estados Unidos e foram distribuídos entre a comunidade judaica local. As Quatro Espécies, compostas por um etrog (o fruto de uma cidra), um lulav (uma folhagem de uma tamareira), ramos com folhas de murta e ramos com folhas de salgueiro são ondulados como parte de a observância do feriado.

Respeito pelos judeus

Outra novidade nos Emirados Árabe Unidos foi a celebração, em uma sinagoga em Abu Dhabi, do Rosh Hashaná (Ano Novo judaico) pela primeira vez na história. O primeiro restaurante kosher também abriu recentemente e muitos hotéis estão oferecendo comida kosher.

Em uma recente entrevista para a imprensa judaica, o rabino Duchman enfatizou que esses gestos eram verdadeiras expressões de respeito:

“Eles amam muito, muito profundamente o povo judeu. Os Emirados Árabes Unidos são um lugar de tolerância, um lugar de coexistência, e sempre fomos muito respeitados”, disse o Rabino Duchman.

“Sua Alteza Sheikh Mohamed bin Zayed, o príncipe herdeiro de Abu Dubai, realmente empurra as pessoas a ser um farol de luz para seus vizinhos, para que eles tenham um enorme respeito por todos os judeus”, concluiu.

veja também