Israel, Bahrein e Emirados Árabes Unidos assinam “Acordo de Abraão” em evento histórico

Acordo reconhece Israel como nação, estabelece paz, promove parceria comercial e voos diretos entre os países.

fonte: Guiame, com informações do Washington Post

Atualizado: Terça-feira, 15 Setembro de 2020 as 3:20

Israel assina acordo estabelecendo laços formais com dois estados árabes na Casa Branca. (Foto: Tom Brenner/Reuters)
Israel assina acordo estabelecendo laços formais com dois estados árabes na Casa Branca. (Foto: Tom Brenner/Reuters)

O presidente Donald Trump presidiu uma cerimônia de assinatura da Casa Branca na tarde desta terça-feira (15) na qual Israel estabeleceu laços formais com dois estados árabes, os Emirados Árabes Unidos e Bahrein, no que Trump chama de florescer de seu plano de paz no Oriente Médio.

O acordo, chamado de Acordo de Abraão em homenagem às três religiões abraâmicas enraizadas no que hoje é Israel e nas terras vizinhas, estabelece o terreno para laços diplomáticos, econômicos e outros entre Israel e dois vizinhos do Golfo Pérsico.

O evento realizado na sede do governo americano foi considerado histórico para o Oriente Médio, ao estabelecer as relações diplomáticas entre Israel e os Emirados Árabes Unidos e o Bahrein, ambos países de maioria muçulmana no golfo Pérsico.

Multidão se reúne na Casa Branca para a cerimônia de assinatura do Acordo de Abraão. (Foto: MCT)

A assinatura do acordo de paz entre os três países, até então inimigos, aconteceu no início da tarde no gramado sul da Casa Branca, sede da presidência dos Estados Unidos, sob o comando pessoal do presidente americano Donald Trump e testemunhado por centenas de convidados.

“Estamos aqui esta tarde para mudar o curso da história. Depois de décadas de divisão e conflito, marcamos o amanhecer de um novo Oriente Médio ”, disse Trump, à multidão de um pódio montado na varanda.

“Graças à coragem dos líderes presentes, damos um grande passo em direção a um futuro no qual pessoas de todas as religiões e origens possam viver juntas em paz e prosperidade”, declarou.

O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu e os chanceleres Sheikh Adbullah bin Zayed al-Nahyan, dos Emirados Árabes, e Abdullatif Al Zayani, do Bahrein, foram para Washington para a cerimônia.

A assinatura do acordo entre os três países rompe um tabu entre lideranças do mundo árabe. Até agora, Israel tinha relações diplomáticas com apenas dois países vizinhos: o Egito (desde 1979) e a Jordânia (desde 1994).

As bandeiras dos EUA, Israel, Emirados e Bahrein são projetadas em uma seção das paredes que cercam a Cidade Velha de Jerusalém na terça-feira. (Foto: Reprodução / Reuters)

No Twitter, a Casa Branca escreveu: “A assinatura histórica de hoje prova que as nações do Oriente Médio estão se libertando das abordagens fracassadas do passado”.

Trump disse que “Israel, Bahrein e os Emirados Árabes Unidos estão escolhendo a cooperação ao invés do conflito. Amizade sobre inimizade. Prosperidade sobre a pobreza. Esperança sobre o desespero.”

Ataques

Enquanto acontecia a assinatura do acordo nos EUA, sirenes foram disparadas no sul de Israel indicando possíveis lançamentos de foguetes a partir da Faixa de Gaza contra o território israelense.

Segundo o Sputnik News, o alerta foi divulgado pelas Forças de Defesa de Israel (IDF).

Os líderes palestinos rejeitaram os esforços de paz de Trump por três anos e chamaram as duas nações árabes traidoras de sua causa.

veja também