Em batismo, ex-viciada diz que 'estaria morta' se a igreja não estivesse aberta na pandemia

Jennifer Scott chegou a fumar drogas e injetar 7 gramas de cocaína por dia.

Fonte: Guiame, com informações do FaithwireAtualizado: quinta-feira, 13 de janeiro de 2022 14:28
Jennifer Scott lê um depoimento emocionante antes de ser batizada nas águas. (Foto: Reprodução / YouTube CBN News)
Jennifer Scott lê um depoimento emocionante antes de ser batizada nas águas. (Foto: Reprodução / YouTube CBN News)

Uma igreja canadense tem uma mensagem para cristãos e casas de culto em meio à pandemia de Covid-19 em andamento: “Recusem-se a fechar suas portas”.

A Trinity Bible Chapel em Waterloo, Ontário, publicou um vídeo na terça-feira (11) de uma mulher chamada Jennifer Scott. O clipe apresentava o batismo emocionante de Jennifer e seu testemunho comovente.

A mulher compartilhou sua jornada com a congregação antes de declarar publicamente sua fé por meio do batismo nas águas.

“Eu era uma escrava da escuridão”, disse ela. “Eu cresci indo à igreja, mas não era salva.”

A jornada de Jennifer a levou ao caos e ao uso de drogas. Ela finalmente se viu “fumando e injetando 7 gramas de cocaína por dia”, mas a vida começou a mudar depois que ela concordou em participar de uma reunião de oração a pedido de seu filho.

“Meu filho me pediu para ir a uma reunião de oração na Trinity”, disse ela. “Pedi oração para me ajudar a parar [com as drogas].”

E depois que Jennifer postou um comentário em um vídeo da igreja no YouTube, o pastor estendeu a mão e começou a encorajá-la. A partir daí, a igreja a ajudou a conseguir uma cama em uma casa sóbria – e sua vida foi subitamente transformada.

“Estou limpa e sóbria há mais de sete meses”, disse ela. “O corpo de Cristo aqui em Trinity me ajudou com móveis e outras coisas.”

Jennifer também disse para a igreja prestar atenção, especificamente em uma era dominada por fechamentos e mandatos governamentais.

“Nenhuma dessas coisas teria acontecido se a Trinity fechasse as portas e estivesse apenas online”, disse ela. “Sei de fato que estaria morta agora se Deus não tivesse usado esta igreja em minha vida.”

Jennifer ficou emocionada, acrescentando: “Não estou mais paralisada pelo medo. (…) Jesus nunca parou de me perseguir”.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições