Escócia: Igreja protestante histórica deve adotar casamento gay

Uma nova liturgia será escrita se a nova lei for aprovada no final de maio.

Fonte: Guiame, com informações do Evangelical FocusAtualizado: terça-feira, 3 de maio de 2022 15:45
Igreja da Escócia, Fort William. (Foto: Robert Cutts de Bristol/Creative Commons)
Igreja da Escócia, Fort William. (Foto: Robert Cutts de Bristol/Creative Commons)

Um relatório publicado durante preparativos para a Assembleia Geral da Igreja da Escócia mostra que 29 presbitérios (órgãos administrativos que representam as igrejas locais de uma determinada região) estão apoiando uma nova legislação da denominação que permitiria a ministros e diáconos se tornarem celebrantes de uniões do mesmo sexo. Apenas 12 presbitérios se opuseram a ela.

A histórica Igreja Presbiteriana Calvinista deve aprovar a nova regulação em maio, tornando a celebração de casamentos gay possível pela denominação cristã.

A nova orientação segue na esteira do debate que acontece dentro da Igreja da Escócia por muitos anos entre os que defendem uma compreensão historicamente bíblica do casamento e aqueles que promovem uma abordagem teologicamente mais liberal da ética sexual.

Em 2016, a Igreja permitiu que seus ministros de culto entrassem em casamentos ou uniões civis entre pessoas do mesmo sexo.

Assembleia Geral de Maio

Shuna Dicks, uma reverenda do Presbitério de Aberdeen e Shetland, disse à Premier que estava “encantada” por em breve poder casar pessoas do mesmo sexo.

“Haverá pessoas da comunidade LGBT que se alegrarão porque, finalmente, a igreja a que pertencem poderá celebrar o amor que encontraram um no outro em uma cerimônia cristã e isso, acho, é uma boa notícia”, declarou.

Com opinião contrária, Mike Gross, um reverendo de Angus, disse que aqueles “que defendem a Bíblia, não vamos embora, ainda estamos lá”. Ele disse esperar “lutas” nas “relações contínuas entre congregações e entre ministros”.

O relatório a ser votado no final do mês diz que nenhum ministro seria obrigado a se envolver em casamentos gays se discordasse. Também pede aos líderes da igreja que protejam “a paz e a unidade e as necessidades pastorais da congregação” no processo de implementação dos ritos de casamento gay.

Uma nova liturgia será escrita se a nova lei for finalmente aprovada.

Igreja histórica na Escócia

A Igreja da Escócia tem suas raízes nos primeiros cristãos na Escócia e foi fortemente moldada pelo reformador John Knox (século XVI).

A constituição da Igreja diz que a Bíblia é a autoridade suprema para todas as questões de fé e prática.

Duas outras igrejas foram formadas no passado por grupos que deixaram a Igreja da Escócia: a Igreja Episcopal Escocesa (1689) e a Igreja Livre da Escócia (1843). 

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições