Neta de Billy Graham alerta sobre os perigos do cristianismo progressista

Em seu podcast "Fearless”, Cissie Graham Lynch conversa com Alisa Childers sobre como os cristãos progressistas veem a Bíblia.

fonte: Guiame, com informações do Christianity Daily

Atualizado: Quarta-feira, 2 Junho de 2021 as 3:05

Cissie Graham Lynch. (Foto: Reprodução / Scenic City Women's Network)
Cissie Graham Lynch. (Foto: Reprodução / Scenic City Women's Network)

Cissie Graham Lynch discutiu sobre o perigo oculto do cristianismo progressista em seu podcast "Fearless". Observando que alguns cristãos, especialmente os mais jovens, são apaixonados por um movimento espiritual que oferece um "apelo de bem-estar e liberdade com base na verdade relativa", a neta de Billy Graham procurou a opinião de alguém que teve uma experiência pessoal sobre isso.

Alisa Childers, ex-integrante da banda cristã ZOEgirl, conta que foi convidada para um estudo bíblico de seu pastor e ficou intrigada quando ele estimulou o grupo a rejeitar a verdade bíblica.

Seu livro mais recente, "Outro Evangelho?" narra sua própria jornada e estudo da lacuna entre o cristianismo histórico e progressista.

"É uma religião completamente diferente", disse Childers. "Acho que é isso que a maioria das pessoas não entende."

Childers ouviu as pessoas falarem sobre como sua fé havia sido desconstruída como parte de sua pesquisa e descobriu que era um tema recorrente. As crenças cristãs tradicionais, como a exclusividade do casamento entre um homem e uma mulher e a abstinência antes do casamento, eram vistas como opressivas e problemáticas.

"Você pode viver como deseja sexualmente e ainda ser um cristão. Você pode ver por que isso seria atraente", explicou ela. "Você pode basicamente ser o seu próprio Deus e ainda pode ter as partes de Jesus que você gostava quando criança."

“É baseado na ideia de 'viva a sua verdade'. ... Você precisa sair e descobrir a sua verdade ", acrescentou ela.

No entanto, como Cissie Graham Lynch apontou "existem profundas diferenças teológicas".

A cruz e o Evangelho

Visto que Deus exigiu o sacrifício de sangue de Jesus na cruz, os cristãos progressistas questionaram a natureza moral de Deus. Ignorando os propósitos de expiação do sacrifício, o ato "transforma Deus em algum tipo de abusador cósmico de crianças", explicou Childers.

Para eles, "o Evangelho é mais sobre o aqui e agora", disse Childers, acrescentando que até usarão linguagem como "construir o reino de Deus", mas tudo será centrado na justiça social.

Childers se referiu a isso como um "Evangelho da Justiça social" e ela concordou que os cristãos "deveriam estar fazendo boas obras". No entanto, ela afirma que no cristianismo progressista, tudo gira em torno das boas obras, com ênfase menor ou zero no Evangelho de Cristo e Seu sacrifício expiatório na cruz pelo pecado do homem.

Como resultado, Lynch comenta que os cristãos que não estão familiarizados com a Bíblia são "facilmente atraídos".

Ela acredita que, para permanecer na verdade, é preciso primeiro aprender sobre Deus lendo Sua Palavra.

“Quando a voz de Satanás vier, você será capaz de ter esse discernimento - seja a voz de Deus ou do inimigo falando”, disse ela.

Nesse sentido, o julgamento de Lynch estava certo.

Em seu estudo recente, o Conselho de Pesquisa da Família declarou ter descoberto grandes discrepâncias entre o que as pessoas acreditam e o que a Bíblia ensina entre os 51% das pessoas que afirmam ter uma cosmovisão bíblica.

Depois que os pesquisadores fizeram uma série de perguntas adicionais àqueles que professam ter uma cosmovisão bíblica, eles descobriram que apenas cerca de 6% genuinamente tinham.

veja também