Ativistas pró-aborto estimulam ataques a juíza pró-vida, seus filhos e igreja

Juízes conservadores da Suprema Corte dos EUA estão na mira dos abortistas.

Fonte: Guiame, com informações do Open the WordAtualizado: terça-feira, 21 de junho de 2022 17:39
Ativistas pró-aborto ‘Rise Up 4 Abortion Rights’ protestam em frente à casa da juíza conservadora e católica, Amy Coney Barrett (à esquerda) (Captura de tela Twitter Rise Up 4 Abortion Rights / Rachel Malehorn / Creative Commons)
Ativistas pró-aborto ‘Rise Up 4 Abortion Rights’ protestam em frente à casa da juíza conservadora e católica, Amy Coney Barrett (à esquerda) (Captura de tela Twitter Rise Up 4 Abortion Rights / Rachel Malehorn / Creative Commons)

Dezenas de ataques a clínicas pró-vida estão acontecendo nos EUA, na esteira dos vazamentos de decisão provável de proibição da lei do abroto Roe vs. Wade pela Suprema Corte americana.

Igrejas e juízes conservadores também estão na mira desses grupos, como é o caso da juíza da Suprema Corte Amy Coney Barrett, segundo relatou o The Blaze.

Ativistas pró-aborto ‘Rise Up 4 Abortion Rights’ protestam em frente à casa da juíza conservadora e católica, Amy Coney Barrett. (Captura de tela Twitter Rise Up 4 Abortion Rights)

Um grupo radical pró-aborto de esquerda recentemente encorajou seus apoiadores a atacar os filhos, a igreja e o lar da magistrada, que teve seu nome indicado para a alta corte dos EUA pelo ex-presidente Donald Trump.

Em tom de ameaças a postagem no Twitter diz:

“Se você estiver na área metropolitana de DC, junte-se a nós. Nossos protestos na casa de Barrett moveram a agulha para esta cobertura. Falls Church é uma fortaleza People of Praise. Ela envia seus sete filhos para a escola People of Praise para a qual ela fez parte do Conselho de Administração. Ela frequenta a igreja DIARIAMENTE”.

Membros do Rise Up 4 Abortion Rights também foram para a casa da juíza em Falls Church, Virgínia, onde fizeram os protestos. Elas estavam vestidas com roupas encharcadas de sangue e segurando bonecas na altura da genitália. Em outra imagem, elas aparecem em pé, enquanto as bonecas, representando os bebês, estão jogadas no chão.

Juízes na mira de ativistas pró-aborto

Em uma das ações intimidatórias, as abortistas foram protestar em frente à casa do juiz Samuel Alito.

Ruth Sent Us recebeu o nome em homenagem à juíza da Suprema Corte, Ruth Bader Ginsberg, pró-aborto e, que após morrer, foi substituta pela juíza Amy Barrett.

O grupo emitiu instruções por meio de um post no Twitter, que incluía fotos da juíza Barrett e o nome da igreja que ela frequenta.

Antes disso, as ativistas do grupo enviaram uma mensagem ao juiz da Suprema Corte, Brett Kavanaugh, com uma foto de um outdoor perto da escola onde seus filhos estudam.

A mensagem, postada no mesmo dia em que um homem armado foi preso perto da casa de Kavanaugh, dizia: “Sentimos por você”, já que os membros do Congresso não estão preocupados com sua segurança.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições