Escola remove versículos bíblicos de agendas doadas por igreja, nos EUA

Igreja Batista de Sulphur Springs em Hiddenite investiu US$ 2.000 em 600 planejadores para ajudar os alunos.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Segunda-feira, 14 Setembro de 2020 as 11:25

Agendas de planejamento escolar com página cortada onde estavam impressos os versículos. (Foto: Reprodução/Twitter)
Agendas de planejamento escolar com página cortada onde estavam impressos os versículos. (Foto: Reprodução/Twitter)

Uma escola pública na Carolina do Norte gerou polêmica depois de remover versículos bíblicos impressos nas costas de agendas de planejamento escolar de estudantes oferecidos por uma igreja batista local.

A Igreja Batista de Sulphur Springs em Hiddenite gastou mais de US$ 2.000 com a impressão dos planejadores para os alunos da East Alexander Middle School.  

O material foi distribuído no início do ano letivo norte-americano, que compreende o período de 2020-21.

O distrito escolar disse que não tinha escolha a não ser remover os versículos bíblicos por causa da "separação entre a igreja e o estado".

Originalmente, os planejadores apresentavam dois versículos da Bíblia na parte inferior das contracapas.

Em uma entrevista ao The Christian Post, o pastor associado de jovens e crianças da Sulphur Springs Baptist James Safrit explicou que decidiu imprimir os planejadores depois de falar com a diretora da EAMS, Kristie Love, no início deste verão.

Safrit disse que sempre entra em contato com a escola, que fica perto de sua igreja, no início do ano para "perguntar a eles se há algo que possamos fazer para ajudá-los".

“Liguei para o ensino médio, conversei com a diretora e ela tinha alguns pedidos ... para a escola”, disse ele. Ela solicitou “pen drives para cada aluno transportar o trabalho de um lado para o outro”, assim como os planejadores.

Quanto aos planejadores, Safrit afirmou que Love disse a ele que “poderíamos fazer o que quiséssemos, porque os estávamos fornecendo”.

Impresso na contracapa estavam as palavras de Filipenses 4:13 (“Tudo posso naquele que me fortalece”) e Jeremias 29:11 (“Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês", diz o Senhor, "planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro”).

Presente não obrigatório

“Não perguntei se poderíamos fazer um verso porque, na época, não estávamos nem pensando em colocar um verso ali”, explicou ele.

Quando Safrit e a igreja decidiram colocar versículos da Bíblia na contracapa dos planejadores, ele não achou que haveria "qualquer impacto".

“Não era um presente obrigatório para todas as crianças. Era apenas fornecido se elas quisessem”, disse o pastor de jovens.

Mas antes de distribuir os planejadores aos alunos, os funcionários da escola cortaram os versículos da Bíblia, deixando uma parte das contracapas faltando.

“Ela não pediu uma prova nem nada para ver como era [o material]”, acrescentou Safrit. “Em retrospecto, provavelmente deveria ter deixado ela olhar” antes que os planejadores fossem impressos.

“Separação entre a igreja e o estado”

Alexander County Schools defendeu sua decisão de remover os versículos bíblicos dos planejadores estudantis.

“É um direito do aluno individual compartilhar suas crenças - religiosas ou não, mas não é o papel da escola pública doutriná-los com quaisquer ensinamentos religiosos”, disse o distrito escolar em um comunicado aos meios de comunicação locais.

Em uma entrevista à WBTV, afiliada da CBS News, a Diretora Executiva das Escolas do Condado de Alexander, Alisha Cloer, disse que a “separação entre a igreja e o estado” impedia a escola de distribuir os planejadores com os versículos bíblicos neles.

“Não podemos infringir a lei”, disse Cloer.

A decisão vem no momento em que organizações jurídicas seculares nacionais, como a Freedom From Religion Foundation e outras, regularmente ameaçam escolas e entidades governamentais com ações judiciais por supostos endossos religiosos.

Mal-entendido

A Igreja Batista de Sulphur Springs respondeu à remoção dos versículos da Bíblia em um comunicado em sua página do Facebook.

“Como igreja, entendemos que poderíamos fornecer planejadores para EAMS e imprimir nosso logotipo e uma mensagem edificante”, diz a declaração. “Percebemos que houve um mal-entendido da nossa parte, bem como da parte [da diretora] Love. Não tínhamos a intenção de prejudicar nosso relacionamento com a EAMS, colocando os 2 versículos da Bíblia na contracapa do planejador.”

“A Igreja Batista de Sulphur Springs e a EAMS estão na mesma equipe ajudando nossas comunidades de todas as maneiras que podemos”, continuou a declaração.

Safrit disse à CP que está ansioso para deixar o mal-entendido para trás e manter “uma relação de trabalho realmente boa com a escola”.

Como parte desse relacionamento, a Igreja Batista de Sulphur Springs também oferece um ministério de tutoria para alunos da EAMS.

No passado, as escolas públicas enfrentaram ações judiciais de grupos jurídicos seculares e ateus sobre a presença de exibições religiosas nas dependências da escola, já que essas organizações afirmam que tais exibições violam a cláusula de estabelecimento da Primeira Emenda.

veja também