Universidade cancela conferência de bruxaria após manifestações de estudantes cristãos

O evento seria realizado nos dias 26 e 27 de novembro em espaço acadêmico da Universidade da Nigéria.

fonte: Guiame, com informações do Believers

Atualizado: Quarta-feira, 27 Novembro de 2019 as 4:43

Cartazes colados por estudantes cristãos no campus denunciavam a conferência. (Foto: Reprodução/The Cable)
Cartazes colados por estudantes cristãos no campus denunciavam a conferência. (Foto: Reprodução/The Cable)

Os organizadores da conferência acadêmica sobre bruxaria, planejada para acontece na Universidade da Nigéria - Nsukka esta semana, estão procurando outro local depois que a universidade retirou a aprovação para o uso do seu Centro de Energia.

O diretor do centro escreveu aos organizadores da conferência retirando a aprovação, em meio à oposição de estudantes cristãos e da Associação Cristã da Nigéria (CAN) contra a conferência.

A conferência é uma criação do Centro de Políticas e Pesquisa da BIC Ijomah e deveria ocorrer entre 26 e 27 de novembro. É um exercício acadêmico puro, não um encontro real de bruxas e bruxos, o centro disse, chocado com a “reação desinformada” de estudantes cristãos e da CAN.

Cartazes colados por estudantes cristãos no campus denunciavam a conferência.

Os pôsteres trazem a mensagem: “Diga não ao encontro de bruxas e bruxos!!! Nós somos (a) comunidade cristã. Não polua nosso ambiente, por favor!”, “A Universidade da Nigéria pertence a Jesus. Então bruxas e bruxos, de jeito nenhum! Sem vaga!!!”, “Clamamos o sangue de Jesus pela Universidade da Nigéria. Por isso, rejeitamos todas as formas de bruxaria abertamente ou secretamente em nome de Jesus, amém”.

A Associação Cristã da Nigéria também pediu aos membros que orem para evitar que conferência seja realizada.

O bispo Sam Zuga, do Ministério da Casa da Alegria, e o fundador da Fundação Samzuga também condenaram a conferência de bruxaria.

Fachada da Universidade da Nigéria. (Foto: Reprodução/Believers)

Reagindo à conferência de bruxaria, o bispo Sam Zuga, declarou: “Eu não posso ser um servo do Deus Altíssimo do Estado de Benue e permitir que você se torne o professor internacional de bruxaria, a conferência internacional de bruxaria não pode ser realizada em nenhum lugar da Nigéria”.

Ele acrescentou: "Enquanto eu estiver vivo e Deus estiver vivo, esta conferência não será realizada. Quando as Nações estão realizando conferências digitais para aprimorar a tecnologia, os professores da Nigéria estão ocupados organizando uma conferência internacional para ensinar bruxaria.”

“O que trouxe pobreza na Nigéria é o FESTAC, que [Olusegun] Obasanjo [ex-presidente] fez com o dinheiro da Nigéria, em vez de avançar a tecnologia na época com dinheiro abundante em petróleo”, denunciou o pator.

“Ele convidou bruxas de toda a África para a Nigéria. Muitos deles vieram para a FESTAC e se recusaram a voltar para seus países. Por isso Deus ficou zangado com a Nigéria e nos tornamos um dos países mais pobres do mundo”, acredita.

Organizadores dizem que não vão parar

“A conferência de bruxaria de Enugu será realizada, os cristãos não poderão parar com isso”, declarou um dos organizadores.

Apesar do cancelamento do local reservado para uma conferência de bruxaria a ser realizada no estado de Enugu, os organizadores insistem que estão seguindo o planejado e anunciarão um novo local em breve.

O diretor do Centro BIC Ijomah de Estudos e Pesquisa de Políticas, Professor Egodi Uchendu, em uma mensagem do WhatsApp para Gistmania, disse que o protesto e a campanha da Associação Cristã da Nigéria e de estudantes cristãos da Universidade da Nigéria (UNN), Nsukka não impedirá eles de realizar a conferência acadêmica.

Cartaz de promoção da Conferência sobre Bruxaria na Universidade da Nigéria. (Foto: Reprodução/Believers)

“A liberdade de expressão é um direito humano fundamental. A CAN e outras pessoas são livres para expressar suas opiniões, assim como temos a liberdade de realizar uma conferência acadêmica sobre bruxaria”, disse Uchendu, professora de história.

"Estou muito satisfeito que a conferência esteja gerando o debate que deve ocorrer em todo o país. Os nigerianos devem analisar criticamente o assunto da conferência e identificar como isso está impedindo nossa existência nacional e nossa experiência pessoal”, disse.

Ela absolveu a UNN da culpa pelo cancelamento da reserva para o Energy Center, como local da conferência. O professor disse que o centro é de propriedade do Governo Federal e está domiciliado na UNN.

“UNN NÃO nos negou o uso do Energy Center. Centro de Energia fez. Energy Center é um órgão federal domiciliado na UNN. Não é controlado pela UNN. A decisão deles de nos negar seu local pode nem ser do conhecimento da UNN”, acredita.

veja também