Polícia invade reunião de oração e prende 29 cristãos na Eritreia

Segundo Berhane Esmelash, o governo autoritário vem tentando expulsar os cristãos evangélicos da Eritreia há 20 anos.

Fonte: Guiame, com informações do MNN OnlineAtualizado: quinta-feira, 28 de abril de 2022 14:33
Membros do capítulo de Nalerigu, da Associação de Chefes Cristãos do Norte, seguram suas Bíblias após uma reunião de grupo. (Foto ilustrativa: IMB)
Membros do capítulo de Nalerigu, da Associação de Chefes Cristãos do Norte, seguram suas Bíblias após uma reunião de grupo. (Foto ilustrativa: IMB)

As forças de segurança da Eritreia interromperam uma reunião de oração cristã e prenderam 29 crentes. Na invasão, que aconteceu em março, as autoridades policiais detiveram 17 mulheres e 12 homens e os levaram para um campo de prisioneiros perto da capital, Asmara.

Os cultos na Eritreia só podem acontecer em igrejas reconhecidas pelo governo. A falta de liberdade religiosa no país, faz com que os cristãos eritreus sejam frequentemente detidos sem acusações, o que acontece há anos.

As prisões são parte de uma tendência na Eritreia, segundo Berhane Esmelash disse recentemente ao The Voice of the Martyrs Canada. “Tivemos várias novas prisões nos últimos seis meses. Alguns pastores seniores foram presos há alguns meses e estão na casa dos 70 anos. Ao mesmo tempo, outros membros da liderança também foram presos”.

“Cerca de seis meses atrás, 15 cristãos foram presos. Agora, esses 15 foram presos anteriormente por muitos anos.”

Os cristãos eritreus esperavam que esses crentes fossem livres para o resto de suas vidas, mas agora eles foram colocados de volta na prisão. A polícia eritreia costuma usar reuniões ilegais como desculpa para prender pessoas. Mas às vezes eles simplesmente tiram as pessoas de seu trabalho.

Cristãos eritreus

Esmelash também foi vítima da perseguição na Eritreia, onde passou um ano preso. Atualmente, opera um ministério para ajudar cristãos eritreus perseguidos próximo a Londres.

Ele diz que o governo autoritário vem tentando expulsar os cristãos evangélicos da Eritreia há 20 anos.

“Quando os cristãos dizem: 'Jesus é o Senhor', para eles é como um insulto. Porque eles querem ser o Senhor da terra. Esse é o caráter típico do presidente eritreu. Ele quer ser adorado, não apenas obedecido. É a mesma coisa que está acontecendo na Coreia do Norte.”

O país que ocupa o 6º lugar na Lista Mundial da Perseguição, conforme a Portas Abertas, é um dos piores lugares do mundo para quem se decide pelo cristianismo. 

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições