É o fim dos tempos? O caos russo tem a ver com Gogue e Magogue? Especialistas respondem

Alguns teólogos defendem que os atuais acontecimentos encontram referência nas profecias de Ezequiel sobre a batalha de Gogue e Magogue.

Fonte: Guiame, com informações de FaithwireAtualizado: sexta-feira, 25 de fevereiro de 2022 14:07
Explosão em Kiev no segundo dia da invasão russa à Ucrânia. (Foto: Captura de tela/YouTube Band Jornalismo)
Explosão em Kiev no segundo dia da invasão russa à Ucrânia. (Foto: Captura de tela/YouTube Band Jornalismo)

Com a invasão russa à Ucrânia em 24 de fevereiro de 2022, muitos se perguntam se é o prelúdio de uma Terceira Guerra Mundial. É o fim dos tempos? 

No segundo dia da invasão, embora a situação esteja perigosa e violenta e o número de mortos esteja subindo, nenhum dos chefes de Estado envolvidos declarou estado de guerra.

O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, disse às Nações Unidas, na quarta-feira (23), que uma guerra total com a Rússia seria o “fim da ordem mundial”. 

E além das conversas políticas, há também discussões teológicas acontecendo, resgatando temas sobre o fim dos tempos bíblicos e do envolvimento teórico da Rússia nele.

Estamos diante do fim dos tempos?

Será que as ações da Rússia fazem parte do cenário escatológico? Especialistas bíblicos são cautelosos para não exagerar ou fazer proclamações definitivas sobre nações e eventos, embora tenham surgido teorias viáveis ​​que valem a pena explorar, conforme o Faithwire. 

O autor Joel Rosenberg está entre aqueles que exploram abertamente as profecias do Antigo Testamento sobre o fim dos dias bíblicos. Ele discute a potencial colocação da Rússia nos acontecimentos atuais.

Em seu blog, ele publicou há alguns anos sobre uma possível relação entre eventos mundiais aos escritos de Ezequiel. “O profeta hebreu Ezequiel escreveu há 2.500 anos que nos 'últimos dias' da história, Rússia e Irã formarão uma aliança militar para atacar Israel pelo norte”,  escreveu Rosenberg . 

Estudiosos da Bíblia referem-se a esse conflito escatológico, descrito nos capítulos 38 e 39 do livro de Ezequiel, como a Guerra de Gogue e Magogue. “O texto fala de um ‘Gogue, da terra de Magogue’ [Ez 38.14-16] e aponta não apenas uma batalha, mas uma vitória do Senhor diante dos olhos do mundo”, continuou. 

O que significa Gogue e Magogue?

Há muitas opiniões e interpretações teológicas sobre Gogue e Magogue. Conforme o Got Questions Ministries, existe uma ligação com a Rússia. “Gogue é uma pessoa. E quem quer que seja Gogue, ele é da terra de Magogue, um líder de Tubal e Meseque [algumas traduções adicionam 'Rosh' à lista]”, diz o site. 

Além disso, menciona também uma confederação de outras nações: Pérsia, Cuxe, Put, Gomer e Beth Togarma, conforme Ezequiel 38.5-6. “E, quem quer que seja, ele terá planos de 'atacar um povo pacífico e inocente', isto é, Israel [versículos 11, 14 e 18]. Mas, independentemente dos planos de Gogue, o Senhor Deus está contra ele e o derrotará”, explica ainda. 

E por que alguns acreditam que a Rússia é Magogue? 

No mapa, se olhar para o lado norte, estará a Rússia e os antigos territórios soviéticos. Portanto, não é surpreendente ver tantos especialistas bíblicos apontarem para essa região, de acordo com artigo do Faithwire. 

Outra nota mencionada no artigo é a “Pérsia”, uma nação listada como estando em aliança com Magogue, ou seja, o Irã moderno. O pastor Roger Barrier, que se aposentou como pastor sênior da Igreja Casas, em Tucson, Arizona, disse algo essencial: “Deus escolheu não nos dar todos os detalhes sobre o fim dos tempos”.

Por esse motivo, nem sempre há respostas definitivas sobre o que está acontecendo, por exemplo, quanto à questão da invasão russa à Ucrânia. Mas, ele enfatiza também que é “incrivelmente frutífero explorar as Escrituras e ter uma compreensão do que os textos bíblicos estão apontando”. 

“Quando falamos de ‘Gogue e Magogue’, estamos falando de um líder na terra da Rússia. Porém, se daqui a 500 anos, se Cristo demorar, essa terra poderá ter outro nome, pois estará em outro tempo”, observou o pastor que é fundador do Crosswalk. 

“Magogue significa o ‘Príncipe de Rosh’ [de Gogue]. Rosh é a antiga palavra raiz para a terra da Rússia. Deus informa que Magogue virá do extremo norte. O que fica ao norte de Jerusalém? Moscou. E ‘Meseque’ é o antigo nome da capital da Rússia ocidental. Tubal é identificada como uma cidade da Sibéria”, detalhou.

O pastor ainda especifica que Gogue (Rússia) é o rei do Norte. E que o rei do Sul é uma coalizão árabe-africana. 

Sobre os nomes das nações

“Ezequiel 38.5-6 identifica as outras nações que serão arrastadas para a batalha, contra os reis do Sul: Pérsia — Cush e Put estarão com eles, com escudos e capacetes. E também Gomer com suas tropas, e Beth Togarma do extremo norte”, acrescentou.

Pérsia — atual Irã.

Cush — atual Etiópia e nações da África Central.

Put e Líbia — localizados no norte da África.

Gomer — povo que se estabeleceu na Alemanha.

Beth Togarma — atual Ásia Menor e Turquia.

Para Roger, essas nações se alinharão com a Rússia nas batalhas contra o rei do Sul e, mais tarde, contra o Anticristo

Profecias que ainda não se cumpriram 

Ao citar que Israel ressurgiu como nação, em 1948, Rosemberg aponta para o cumprimento de uma profecia bíblica e foca depois naquelas que ainda não se cumpriram, como a profecia de Gogue e Magogue.

“O líder da Rússia [disse sem citar nomes] fará uma aliança com Irã, Turquia e alguns outros países hostis para cercar e atacar Israel nos últimos dias”, lembrou.

Alguns podem se perguntar se Putin e a Rússia contemporânea se encaixam nessa profecia, mas Rosenberg foi cauteloso ao dizer que é possível que sim e que não

“Talvez esses eventos estejam a centenas de anos de distância ou mais próximos do que imaginamos. A Bíblia não especifica e os cristãos são exortados a não definir uma data”, ponderou.

Porém, também disse em 2018, que “Vladimir Putin é mais perigoso para os Estados Unidos do que o islamismo radical”. 

Resumindo, o caos entre Rússia e Ucrânia indica que estamos no fim dos tempos? “Ninguém sabe, mas considerando as questões internacionais em andamento em torno de Israel, Irã e Rússia, muitos cristãos e teólogos preferem observar de perto”, concluiu.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições