Pesquisa revela que intolerância ao cristianismo está aumentando cada vez mais

“A maioria de todas as religiões percebe essa reação contra os cristãos hoje”, disse o pesquisador.

Fonte: Guiame, com informações de CBN NewsAtualizado: terça-feira, 19 de julho de 2022 17:28
Joe Kirby quase foi derrubado no chão enquanto pregava o Evangelho, na Inglaterra. (Foto: Reprodução/Street Preaching Channel).
Joe Kirby quase foi derrubado no chão enquanto pregava o Evangelho, na Inglaterra. (Foto: Reprodução/Street Preaching Channel).

Uma nova pesquisa da Lifeway Research mostra que a maioria das pessoas em todos os grupos religiosos concorda que “os cristãos estão enfrentando uma onda crescente de intolerância”. 

Conforme os dados apresentados, 69% dos protestantes, 59% dos católicos e 52% de pessoas pertencentes a outras crenças religiosas, concordam com essa realidade. 

Quando os entrevistados foram questionados sobre o declínio da liberdade religiosa, a maioria dos americanos (54%) respondeu que teve essa percepção. 

‘Cresce a intolerância e diminui a liberdade’

Os resultados da pesquisa mostram que os cristãos estão sendo duramente confrontados com a intolerância. 

De acordo com Scott McConnell, diretor executivo da Lifeway Research, “essa intolerância envolve retrocesso cultural.

Ele explica que num mundo em que os “ideais progressistas e seculares” estão aumentando, não é surpreendente ver o cristianismo — que já teve uma influência cultural mais ampla — receber repreensão crescente.

“No mercado americano de ideias, nem todos os sistemas de pensamento são bem-vindos. A maioria de todas as religiões percebe essa reação contra os cristãos hoje”, explicou Scott.

A pesquisa revelou também que “os cristãos estão reclamando sobre como estão sendo mal tratados”. 

A pesquisa foi realizada num momento em que “o cristianismo  continua a declinar”. Uma pesquisa de 2007 mostrou que 78% dos americanos se identificavam como cristãos e, atualmente, essa porcentagem caiu para 63%. 

Notícias sobre intolerância ao cristianismo

O Guiame tem noticiado muitos casos relacionados à intolerância aos cristãos e aos preceitos bíblicos. Um dos mais recentes é o caso da ex-comissária de bordo, nos Estados Unidos, que foi demitida por ser contra o aborto.

Ela travou uma batalha judicial que levou 5 anos, venceu o processo, mas a empresa disse que vai recorrer. “Essa é uma vitória para a liberdade de expressão e crenças religiosas”, ela se manifestou

Outro caso mostra um evangelista de rua, na Inglaterra, que sofreu zombarias e foi empurrado durante sua pregação. Ele estava em cima de uma caixa térmica, anunciando as Boas Novas do Evangelho, quando uma ateia começou a desafiá-lo.

Enquanto o evangelista estava conversando com a mulher, um homem passou e chutou a caixa térmica em que Joe estava e ele quase caiu no chão.

E, no Brasil, um caso apontado como “intolerância religiosa” por uma delegada, foi o da evangélica, de 57 anos, que foi morta com um tiro na cabeça, em Manaus. Ela era conhecida por evangelizar traficantes de sua comunidade. 

De acordo com a reportagem, só no ano de 2018, 506 casos de intolerância religiosa foram registrados no Brasil, entre eles 23 contra evangélicos e 31 contra testemunhas de Jeová.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições