Mulher é salva por Jesus no dia que iria se suicidar: ‘Caí de joelhos e me entreguei’

Donna Sleep testemunha como Jesus restaurou sua vida após anos de sofrimento com bullying, abuso sexual e estupro.

Fonte: Guiame, com informações do PremierAtualizado: quinta-feira, 5 de maio de 2022 13:04
Donna Sleep: ‘Jesus me trouxe sua luz’. (Foto: Reprodução/Premier)
Donna Sleep: ‘Jesus me trouxe sua luz’. (Foto: Reprodução/Premier)

A infância de Donna Sleep já dava sinais de que sua vida seria conturbada. Apesar de frequentar uma escola católica e a igreja, mesmo não sendo de família cristã, ela sofria de ansiedade pela convivência difícil dos pais.

Na adolescência, as coisas pioraram. Violências como bullying, abuso sexual e estupro se tornaram corriqueiros. “Fiquei deprimida, tive pensamentos suicidas frequentes e me machucava para lidar com a dor da vida cotidiana”, lembra.

O sofrimento de Donna a fazia desejar morrer, mas Deus tinha um plano novo e diferente para ela. “No começo dos seus 20 anos, ficava sentada no chão do quarto, tomando pílula após pílula, quando de repente, ouvi uma voz dizer: ‘Pare agora, Donna’”.

Ela conta que obedecer àquela voz salvou sua vida. “Eu sabia em meu coração que era o Senhor falando comigo, e eu precisava convidá-lo de volta para minha vida”, diz.

“Comecei a voltar para a igreja, o que foi bom no começo, e comecei a fazer voluntariado em uma escola local, eventualmente trabalhando lá como assistente de ensino. No entanto, desenvolvi um transtorno de estresse pós-traumático complexo (TEPT) como resultado do meu abuso, e minha mente estava novamente cheia de escuridão”, conta.

As crises de Donna fizeram com que ela perdesse seu emprego. “A equipe de saúde mental me diagnosticou com ansiedade crônica e um transtorno de personalidade emocionalmente instável”, conta.

“Alguns anos se passaram e eu estava simplesmente contando os dias de distância e lutando para lidar com a vida cotidiana. Eventualmente, eu decidi que não podia mais suportar a dor. Os pensamentos suicidas tornaram-se um plano em ação”, relembra.

Encontrando Jesus

A esperança de uma nova vida chegou para Donna quando ela começou a trabalhar como voluntária em banco de alimentos. Ali, uma amiga que era cristão percebeu que a jovem estava deprimida e encorajou Donna a orar e levar seus problemas a Jesus.

“A princípio eu a dispensei, e fiquei muito zangada por ela sugerir que eu tinha outra escolha. No dia em que pretendia tirar minha vida, ela me convidou para participar do Creation Fest, um festival cristão que acontecia nas proximidades”, lembra.

Ela diz que quando a noite chegou, sentiu um desejo irresistível de ir ao evento. “Achei que era só para me despedir da minha amiga”, porque ela pretendia se suicidar. “Mas, quando estava lá, fui abraçada, ouvida e não julgada. Passei horas conversando, chorando e orando com os cristãos que estavam se voluntariando na tenda de oração”, conta.

Donna descreve uma sensação de paz que percorreu seu corpo. “Onde me senti sem vida, fiquei cheia de esperança e da luz do Espírito Santo”, diz. “Eu soube então, naquele momento, que eu estava – e estaria – segura”.

No mesmo dia, Donna conta que entregou sua vida a Jesus e, pela primeira vez, voltou para casa com uma sensação de paz e pertencimento. No dia seguinte, ela foi ao culto da manhã.

“Normalmente, eu estaria extremamente ansiosa por estar cercada por tantas pessoas, mas era como se eu estivesse ali, e o pregador estivesse falando diretamente comigo. Ele falou sobre não mais carregar a dor do passado e seguir em frente, apenas olhando para a cruz e para Jesus. Caí de joelhos e sabia que Jesus estava comigo”, relembra.

Vida nova

Donna descreve o que sentiu naquele dia especial. “Uma luz se acendeu dentro de mim e eu ganhei vida. Comecei a frequentar uma igreja local e depois fui batizada no mar. Agora tenho uma família cristã que me ama e me apoia e que me ajudou a crescer no conhecimento recém-descoberto de que sou filha de Deus e tenho direito à vida”, conta.

“Por muito tempo, tive medo de atender o telefone em minha própria casa; eu não conseguia falar com ninguém sem gaguejar ou tropeçar. Mas dois anos depois, voltei ao Creation Fest para compartilhar minha história no palco principal. Agora, oito anos após meu colapso, Deus está restaurando tudo o que perdi. Voltei a estudar, estou concluindo meu curso de babá e voltei a fazer o trabalho que amo, trabalhando como assistente de ensino em uma escola primária”, testemunha.

Donna diz que continua trabalhando em sua saúde mental, sendo medicada e que ainda luta com os efeitos dos abusos sofridos.

“Mas não me machuquei desde aquela noite no Creation Fest, e sei que o Senhor impede que meus medos me controlem. Nos dias negativos, basta dizer: ‘Ajuda-me, Jesus’, e sinto sua presença, orientação ou direção calmantes”, conta.

Donna diz que o amor incondicional de Deus e a aceitação incondicional que ele mostrou a ela é inegável: “Ele tirou minha vergonha e dúvida e as substituiu por sua luz eterna. E com cada lágrima que choro, sei que ele está me segurando e enxugando-as. Quando pensamentos sombrios entram em minha mente, invoco Jesus e ele traz sua luz para minha escuridão”.

Caso você esteja pensando em cometer suicídio, procure ajuda especializada como o CVV e os CAPS (Centros de Atenção Psicossocial) da sua cidade.

O CVV (https://www.cvv.org.br/) funciona 24 horas por dia (inclusive aos feriados) pelo telefone 188, e também atende por e-mail, chat e pessoalmente. São mais de 120 postos de atendimento em todo o Brasil.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições